|desregulação de horários

Trabalhadora que dormiu na estação conquista alojamento

A trabalhadora da Servirail, forçada a dormir na estação da CP de Braga por não ter como regressar a casa, por culpa horário imposto, conseguiu garantir alojamento pago pela empresa sempre que precisar.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/6353.jpg?itok=NSZjrx75
A Servirail explora os bares dos comboios Alfa Pendular e Intercidades da CP. Na foto, o novo Alfa Pendular, apresentado na estação de Santa Apolónia, em Lisboa. 24 de Março de 2017
A Servirail explora os bares dos comboios Alfa Pendular e Intercidades da CP. Na foto, o novo Alfa Pendular, apresentado na estação de Santa Apolónia, em Lisboa. 24 de Março de 2017CréditosMário Cruz / Agência LUSA

A situação, denunciada pelo Sindicato da Hotelaria do Norte (CGTP-IN), a quem a trabalhadora recorreu, e divulgada no início do mês pelo AbrilAbril, trouxe ao de cima o caso de repressão praticado pela Servirail.

À trabalhadora em causa, que conseguiu ser reintegrada na empresa após ter sido despedida, foi-lhe imposto um horário diário de 16 horas, longe da sua residência no Porto e da sua filha de seis anos. Perante os protestos, a empresa respondeu com ameaças disciplinares e de despedimento.

Depois de ter sido obrigada a dormir na estação da CP de Braga, por não ter transporte de regresso, e temendo mais represálias, conseguiu que a Servirail passe a garantir o alojamento sempre que necessário. 

A confirmação foi dada pela trabalhadora, após uma reunião com representantes da empresa. Apesar de estar satisfeita com o desfecho, lamentou não ter tido esta solução quando precisou e pediu por mensagem, e afirma que vai continuar a exigir um horário justo, recusando ceder a pressões para sair da empresa.

Tópico

0 Comentários

no artigo "Trabalhadora que dormiu na estação conquista alojamento