|SPdH/Groundforce

Salários pagos a prestações motivam greve na Groundforce

Os trabalhadores da Groundforce vão estar em greve às horas extraordinárias entre 15 e 29 de Julho, a que se vão seguir mais três dias de greve total, reivindicando o pagamento atempado dos salários.

Os trabalhadores da SPdH/Groundforce, após anos, conseguiram que fosse retomada a negociação da contratação colectiva
Créditos / Agência Lusa

Em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava/CGTP-IN) refere que apresentou «um pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário a partir da meia-noite do dia 15 de Julho, até às 24h do dia 29 de Julho». Também no dia 15 de Julho, em Lisboa, vai ser realizado um plenário de associados do Sitava.

A par disto, o sindicato adiantou que vai entregar «em tempo útil» um novo pré-aviso de greve para os dias 30 e 31 de Julho e 1 de Agosto, que admite repetir nos meses seguintes, «enquanto se justificar».

No documento, a estrutura sindical lamentou que, após o atraso nos salários em Fevereiro, bem como o pagamento em duas prestações no mês de Maio, os trabalhadores estejam confrontados com mais um mês em que os vencimentos não vão ser pagos atempadamente.

«Até à data de hoje, os trabalhadores da SPdH/Groundforce têm dado mostras de um irrepreensível sentido de responsabilidade e crença no futuro da empresa», vincou o Sitava, acrescentando não ser aceitável que, apesar de estarem a ser «produtivos como nunca», os trabalhadores não vejam os seus salários pagos na íntegra.

«[…] Chegou a hora de os trabalhadores dizerem basta, a fim de verem cumpridos os seus direitos mais básicos. Os trabalhadores da SPdH têm direito a trabalhar numa empresa estável e gerida por gente de bem», concluiu.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui