|PREVPAP

Quinta semana de luta contra a precariedade no LNEC

Os investigadores precários do LNEC têm-se concentrado, todas as quintas-feiras, a exigir a acção imediata do Governo para resolver os problemas decorrentes da sua instabilidade laboral.

O protesto dos trabalhadores do LNEC ocorreu hoje com dezenas de investigadores e contou com a presença solidária do secretário-geral da CGTP e de representantes dos grupos parlamentares do BE e do PCP.
Créditos / STFPSSRA

Hoje, às 13h, pela quinta semana consecutiva, os trabalhadores do LNEC concentram-se junto à entrada das instalações, em Lisboa, para exigir ao Governo a abertura de concursos para integração imediata dos trabalhadores precários.

Há 23 meses que os trabalhadores precários do LNEC aguardam a homologação, pelo Governo, dos pareceres positivos dados pela Comissão de Avaliação Bipartida (CAB), no âmbito do Programa de Regularização Extraordinária de Vínculos à Administração Pública (PREVPAP), para se concretizar a sua integração.

São 111 os trabalhadores afectados por esta situação, dos quais 25, que não viram as suas bolsas renovadas, estão sem receber salário. Para o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas (STFPSSRA/CGTP-IN) «não é entendível este bloqueio feito pelo Governo, que afecta a estabilidade profissional e pessoal dos trabalhadores, com graves prejuízos nas suas vidas».

Os trabalhadores têm contado com a presença solidária de Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP-IN, e Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum, assim como de representantes dos grupos parlamentares do PCP e do BE, e ainda da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC).

Tópico