|EMEL

Objectivos quantitativos saem finalmente da avaliação de desempenho na EMEL

Foi graças à persistência e luta dos trabalhadores que a EMEL aceitou retirar os objectivos quantitativos da avaliação de desempenho, afirma o sindicato. Mantém-se a exigência do aumento dos salários.

Créditos / EMEL

O atendimento da reivindicação dos trabalhadores da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL) foi comunicado no dia 11 de Fevereiro, naquela que foi a segunda reunião com a administração desde o início do ano. 

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN) revela num comunicado que, na altura, a empresa «ainda não tinha resposta» à maioria» das matérias que constam do caderno reivindicativo para este ano, de onde se destaca a questão do aumento dos salários, estando marcada nova reunião para o dia 3 de Março. 

Já quanto às avaliações de desempenho, a EMEL «aceitou retirar os objectivos quantitativos em 2022 », estando a «ponderar como tratar», relativamente ao ano de 2021, «analisando o peso deste factor nas avaliações».

O sindicato valoriza a decisão face a «uma das principais exigências» dos trabalhadores da EMEL, salientando que a mesma «não teria sido possível sem a força, determinação e a união dos trabalhadores, em conjunto com o seu sindicato de classe, o CESP».

Tópico