|Guardas florestais

Vigília de dirigentes e activistas sindicais em Lisboa

Guardas florestais agendam protesto em defesa da carreira

Os guardas florestais do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (Sepna) e do Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa, vão estar concentrados junto ao Ministério da Administração Interna, na próxima sexta-feira.

Manifestação de guardas florestais em 2012
Manifestação de guardas florestais em 2012CréditosJosé Sena Goulão / Agência LUSA

A acção foi convocada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS/CGTP-IN) para a manhã de sexta-feira, dia 28. Dirigentes e activistas sindicais vão estar em vigília a partir das 11h, junto ao Ministério da Administração Interna, no Terreiro do Paço, em Lisboa.

Os guardas florestais do Sepna/GNR vão exigir à ministra a «revogação da norma legal que extingue a carreira de guarda florestal». Exigem ainda a «atribuição dos suplementos pelo exercício de funções da carreira de guarda florestal, pelo trabalho em equipa de protecção florestal e abono para falhas».

Aos guardas florestais do Sepna/GNR devem juntar-se os dirigentes e activistas sindicais do Corpo de Guarda Florestal do Parque Florestal de Monsanto. Estes últimos estão em luta «pela manutenção do seu estatuto de guardas florestais, profundamente desvalorizado pela Câmara Municipal de Lisboa».

A federação sindical acusa a autarquia de pretender «transformar estes trabalhadores numa mera polícia administrativa quando, actualmente, os mesmo têm a natureza de órgão de política criminal».

A Assembleia da República aprovou no último plenário da sessão legislativa que termina no final deste mês a proposta de lei sobre o Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, na qual foi introduzido, por proposta do PCP, o compromisso de recriação do Corpo de Guardas Florestais (extinto em 2006).

Tópico