|greve

Greve dos Trabalhadores dos Silos de Leixões

Após 12 anos sem aumentos e sem contratação colectiva, os trabalhadores partem para dois dias de greve. Mesmo com a greve os trabalhadores estão dispostos a mais luta caso não haja respostas.

CréditosCGTP

Os trabalhadores dos Silos De Leixões vão fazer greve amanhã durante todo o dia na próxima segunda-feira, dia 12 de dezembro de 2022. De acordo com o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos (SINTAB), o piquete de greve será  à porta da empresa, a partir das 7h30 de amanhã, onde darão nota dos motivos da greve.

Na nota à comunicação social enviada pelo Sintab, está previsto que a paralisação afecte todas as cargas e descargas de cereais, nomeadamente o abastecimento à indústria alimentar, de moagens e panificação, e a descarga de navios. 

A par da greve está agendada a realização de um plenário de trabalhadores no dia 13 de Dezembro, onde será feito um balanço da greve e decididas novas formas de luta, caso a empresa mantenha a sua irredutibilidade perante as reivindicações apresentadas.

Nesta empresa, os trabalhadores estiveram 12 anos sem aumentos salariais e sem direito à contratação coletiva, isto depois de a empresa ter afastado o Acordo de Empresa da SILOPOR logo após o início da concessão. Já este ano, perante a insistência do SINTAB, a empresa declarou não querer sequer discutir aumentos de salários e muito menos a aplicação de contratação coletiva.

Nos últimos dias, o patronato tentou intimidar, aliciar e impedir a realização da greve, considerando-a ilegal. A empresa é uma subsidiária do Grupo Champalimaud, detentora do contrato de concessão da operação de cargas, descargas e armazenamento de cereais no Porto de Leixões.

Tópico