|TST

Concurso de concessão inquieta trabalhadores da TST

Na estação do Laranjeiro, em Almada, os trabalhadores da rodoviária estiveram reunidos em plenário para discutir aumentos salariais e a garantia dos direitos.

Créditos / STRUP

A discussão do processo de negociação colectiva e o concurso de concessão que está em curso, e que poderá pôr em causa muitos postos de trabalho, motivaram a reunião, na qual os trabalhadores participaram massivamente.

O Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos (STRUP/CGTP-IN) lembra que o administrador do grupo Arriva, em declarações no final do ano passado, defendeu publicamente a necessidade de um aumento significativo dos salários no sector rodoviário de passageiros. 

No entanto, «depois da negociação concreta, tem argumentado com as dificuldades do costume e os trabalhadores continuam com salários baixos», pode ler-se em nota divulgada.

Outra das preocupações é quanto ao concurso de concessão a decorrer na Área Municipal de Lisboa (AML), uma vez que TST/Arriva apenas concorreu a um lote, que perspectiva, caso ganhe, uma redução geográfica da actividade da empresa, o que lança interrogações relativamente ao futuro dos trabalhadores.

A rodoviária da Península de Setúbal, que actualmente opera em nove concelhos, vai deixar de servir as cidades de Setúbal, Barreiro, Palmela e Montijo, passando a servir apenas Almada, Seixal e Sesimbra.

O sindicato defende que devem ser garantidos os direitos e a antiguidade aos trabalhadores fiquem na empresa que ganhou a concessão na zona de Setúbal, a Nex Continental Holdings.

Tópico