INE confirma crescimento do PIB de 1,4%

Últimos meses de 2016 com crescimento acima da estimativa

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu a estimativa do crescimento económico no último trimestre de 2016 para 2%. A subida de 1,4% no PIB, durante o ano passado, foi confirmada.

Instituto Nacional de Estatística
Instituto Nacional de EstatísticaCréditosJoão Carvalho / Wikipedia

As contas definitivas do INE fazem uma revisão de 0,1 pontos percentuais em relação à estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) durante o quarto trimestre de 2016. A subida não altera o valor avançado para o ano, que fica em 1,4%.

O investimento cresceu no final de 2016, pela primeira vez no ano, em termos homólogos, animado sobretudo pelo sector da construção. Já o emprego aumentou no último trimestre acima do crescimento da economia em termos homólogos (2,2%).

Os dados do INE apontam o crescimento do consumo e a recuperação do investimento como responsáveis pelo melhor trimestre do ano para a economia nacional.

Apesar de o saldo externo (diferença entre exportações e importações) ser negativo, fruto do aumento do consumo privado, a reposição de rendimentos iniciada no ano passado permitiu que o Produto Interno Bruto (PIB) crescesse acima das previsões.

Apesar de se manter em níveis historicamente muito baixos, a evolução do investimento no quarto trimestre de 2016, em conjunto com o consumo privado, permitiu um contributo positivo da procura interna.

Apesar de superar as expectativas, o crescimento do PIB mantém-se em níveis abaixo dos registados antes da introdução da moeda única, há 15 anos.

O crescimento médio desde a entrada em circulação do euro foi de 0,17% ao ano, em Portugal. O único ano em que o crescimento foi superior a 2% foi 2007, com 2,49% – um valor inferior aos registados entre 1996 e 2000, sempre acima dos 3% ao ano.