|infra-estruturas

Tempestade deixa milhares sem luz e telefone

A tempestade que assolou o País na noite de sábado e madrugada de domingo expôs, de novo, a fragilidade das infra-estruturas privatizadas. Cerca de 100 mil habitações continuam sem electricidade.

Destruição causada pela passagem da tempestade <em>Leslie</em>, com ventos fortes e chuva, na Figueira da Foz. 14 de Outubro de 2018
Destruição causada pela passagem da tempestade Leslie, com ventos fortes e chuva, na Figueira da Foz. 14 de Outubro de 2018CréditosPaulo Novais / Agência LUSA

A EDP Distribuição declarou o estado de emergência às 20h de ontem, depois de a tempestade Leslie ter deixado cerca de 300 mil habitações sem electricidade. Aquando da comunicação da empresa, continuavam cerca de 100 mil habitações afectadas, particularmente nas regiões servidas pelas subestações do Louriçal (distrito de Leiria) e de Soure (Coimbra).

No sector das telecomunicações também há registo de falhas. Ontem à noite, a Altice deu conta de quebras de serviço que afectam cerca de 50 mil clientes. No último ano a Altice tem estado em foco precisamente pela incapacidade de resposta que demonstrou face a fenómenos catastróficos. Após os fogos de Junho e Outubro do ano passado, houve vários clientes da operadora que ficaram meses sem que lhes fosse reposto o serviço.

Em ambos os casos – EDP e Altice – tratam-se de empresas privadas a quem estão entregues infra-estruturas estratégicas do País e que resultaram de processos de privatização.

Tópico