|Banca

O megabanco espanhol tem sido um dos principais beneficiários com a concentração bancária na Península Ibérica

Santander «engole» Popular, com lucros sempre a subir

O Santander Totta vai incorporar o Banco Popular, depois de o Santander espanhol ter adquirido a casa-mãe do Popular. Os lucros do Totta, no primeiro semestre, subiram 15%, para mais de 230 milhões de euros.

Sede do Banif, já com o logotipo do Santander Totta, a 22 de Dezembro de 2015
Sede do Banif, já com o logotipo do Santander Totta, a 22 de Dezembro de 2015CréditosMário Cruz / Agência LUSA

Os conselhos de administração de ambas as instituições financeiras comunicaram ontem, ao final da tarde, a decisão de avançar para a fusão. O cenário já estava previsto em Junho, quando o Santander recebeu o Popular espanhol em troca de um euro, num processo de resolução.

O anterior processo de resolução, ainda antes da entrada em vigor das novas regras europeias, resultou na entrega do Banif ao mesmo Santander, então através do Santander Totta (o banco português detido pelo maior grupo bancário de Espanha e o quarto da União Europeia).

Gigante espanhol é a aposta europeia no processo de concentração bancária

A filial portuguesa do Banco Popular vai deixar de existir, assim que a operação seja aprovada pelos organismos regulatórios e estejam cumpridos os procedimentos necessários, tal como aconteceu com o Banif. O Santander Totta deverá atingir uma quota de mercado, em Portugal, de cerca de 17%, de acordo com informação veiculada pelo banco aos clientes do Popular em Portugal – uma subida de quase 10 pontos percentuais desde a sua criação, em 2004, após a integração do Crédito Predial Português e do Totta & Açores, comprados em 1999.

Quanto maior, mais lucrativo

Enquanto o processo de concentração do sistema bancário português e europeu prossegue, os megabancos têm vindo a acumular lucros crescentes. O Santander Totta viu os seus resultados subirem 15% no primeiro semestre de 2017, face ao mesmo período do ano passado, depois de subidas de 88% e de 29% nos semestres homólogos de 2016 e de 2015, respectivamente.

Face aos resultados dos primeiros seis meses de 2014, o Santander Totta registou, este ano, um lucro superior em 152,8 milhões de euros (um crescimento de 190% em apenas três anos). Até Junho deste ano, os resultados mostram um encaixe de 233 milhões de euros.

Lucros disparam, despedimentos aceleram

Parte do crescimento dos lucros do banco explicam-se pela política agressiva de redução de custos administrativos e com pessoal, que caíram cerca de 10% no último ano, e do número de trabalhadores no banco, que desceu 5,7%. Face aos dados de Junho de 2015, segundo os quais o Santander Totta empregava 5308 bancários, somados aos 1100 trabalhadores do Banif que transitaram para o Totta no final desse ano, o banco reduziu em mais de 300 o número de funcionários no último ano e meio.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Popular, relativos ao ano passado, o banco conta com 900 trabalhadores em Portugal (menos 400 do que dois anos antes). Não são ainda conhecidos os planos do Santander, mas o registo recente indicia novas saídas na forja, a alimentar os dividendos recolhidos pelos accionistas da casa-mãe espanhola.

Tópico