|incêndios

Fundos comunitários devem ser mobilizados pelo Governo

Ministro da Agricultura garante ajuda a perdas com incêndios

Capoulas Santos anunciou apoios, a fundo perdido, que podem chegar aos 80% das perdas de «animais, equipamentos ou instalações agrícolas», na sequência de incêndios.

O primeiro-ministro esteve no Parque Nacional da Peneda-Gerês acompanhado pelos ministros da Agricultura, do Ambiente e da Administração Interna
O primeiro-ministro esteve no Parque Nacional da Peneda-Gerês acompanhado pelos ministros da Agricultura, do Ambiente e da Administração InternaCréditosArménio Belo / Agência LUSA

O Ministério da Agricultura vai accionar ajudas «que podem ir dos 50 aos 80%, a fundo perdido», para suportar as perdas de «animais, equipamentos ou instalações agrícolas» na sequências de incêncios. O anúncio foi feito por Capoulas Santos à saída de uma reunião com autarcas do distrito de Viana do Castelo, na Porta do Mezio (Arcos de Valdevez), em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG).

De acordo com o governante, serão utilizados os fundos disponíveis do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), o que já foi autorizado pela União Europeia. O lançamento das candidaturas aos apoios será feito logo que esteja feita a «caracterização e delimitação» das zonas afectadas e que podem beneficiar dos apoios. O PDR tem reservados 500 milhões de euros a medidas florestais, e «o Governo pode decidir o montante que mobiliza para este efeito», revelou o ministro.

Capoulas Santos salientou que, depois da resposta aos prejuízos, a preocupação passará para a reforma da floresta, para a qual já foi formado um grupo de trabalho pluriministerial. O primeiro-ministro, que presidiu à reunião com autarcas, afirmou ser urgente efectuar o cadastro florestal para que seja possível «uma gestão integrada da floresta». António Costa destacou a necessidade de envolver as autarquias na reforma da floresta, revelando que lhes serão dadas competências reforçadas nesta matéria.

O ministro do Ambiente, que também participou na reunião, defendeu ser necessário reforçar os meios de prevenção no PNPG. Nos últimos dias foram consumidos mais de 5,5% da área total do Parque, mais de 1500 hectares. 

Tópico