|mobilidade

Utentes exigem transportes públicos na freguesia de Sobrado

A população de Sobrado exige ter acesso à rede dos STCP. É a única freguesia do concelho de Valongo que não está abrangida pelos autocarros geridos pelos seis municípios do Grande Porto. 

A falta de transportes públicos leva a freguesia de Sobrado a sentir-se discriminada
A falta de transportes públicos leva a freguesia de Sobrado a sentir-se discriminadaCréditos / JN

A reivindicação levou a Comissão de Utentes dos Transportes Públicos de Sobrado a promover uma tribuna pública este domingo, depois do abaixo-assinado com mais de 500 signatários, entregue na última Assembleia de Freguesia de Sobrado e Campo.

Num comunicado, a comissão de utentes frisa que continuará a luta pelo acesso aos transportes da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP), de gestão intermunicipal, e anuncia que vai participar na próxima Assembleia Municipal.

Os utentes frisam que os STCP «continuam públicos e pagos pelos nossos impostos», com gestão intermunicipal dos seis municípios do Grande Porto, entre os quais Valongo, e que portanto «devem servir todos os seus munícipes e território».

Além de abranger a freguesia de Sobrado, os utentes exigem horários compatíveis com as necessidades da população, incluindo fins-de-semana, feriados e períodos de férias escolares, e um passe intermodal que lhes permita usufruir de outros transportes públicos.

«Depois de nos ter sido imposta a União das Freguesias de Sobrado com Campo, prometendo igualdade entre ambas e o resto do concelho de Valongo, isto não se tem verificado. Continuamos com empresas privadas de transportes que praticam preços muito caros, injustos e incomportáveis», lê-se no texto. 

Uma realidade que, denunciam, «impede a mobilidade de pessoas e famílias, criando mais dificuldades a quem cá vive e trabalha».

Tópico