|Algarve

Serviço postal de Conceição e Estoi cada vez mais reduzido

Com a privatização dos CTT, o serviço postal passou a funcionar na Junta das Freguesias de Conceição e Estoi, em Faro. Actualmente, só assegura o pagamento de pensões nalguns dias da semana.

Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PP
Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PPCréditos

Desde a privatização, e após decisão da maioria PS na Junta da União de Freguesias de Conceição e Estoi de colocar a autarquia a suportar o expediente dos CTT, que a população tem vindo a ser confrontada com dificuldades de acesso ao serviço postal.

Actualmente, «só é assegurado parcialmente o pagamento de pensões em horário reduzido e em (poucos) dias fixos, todo o resto do serviço postal é agora prestado na loja dos CTT em Mar e Guerra». A denúncia partiu do PCP, que alerta ainda para o facto de a concentração de serviços nesta loja e a redução do horário de funcionamento provocar uma «enorme sobrecarga de atendimento». 

Os comunistas exigem medidas urgentes para combater a degradação do serviço postal e a reposição, em condições de normalidade, em todo o concelho de Faro, sublinhando que a pandemia de Covid-19, e as consequentes medidas de prevenção e combate, «não podem justificar a degradação» do serviço postal em Conceição e Estoi.

A privatização dos CTT, concretizada em 2014 pelo governo do PSD e do CDS-PP, conduziu ao encerramento de estações de correios e à degradação do serviço postal em todo o País.

A questão tem provocado fortes protestos por parte das populações, que, também através de petições, colocaram o tema da reversão do serviço postal para o Estado na Assembleia da República. As várias iniciativas já apresentadas no Parlamento foram, no entanto, sucessivamente chumbadas por PS, PSD e CDS-PP.

Tópico