|Almada

PS reduz investimento no concelho de Almada

A denúncia da CDU apoia-se no relatório de contas de 2018 da Câmara Municipal de Almada. Além do «muito baixo» investimento concretizado, revela que teria sido possível reduzir a taxa de IMI. 

 

«Tem que haver abertura» aos operadores privados, defende Inês de Medeiros
O que foi concretizado refere-se a projectos «lançados e iniciados» pelo anterior executivo, criticam os vereadores da CDUCréditosAntónio Pedro Santos / Agência Lusa

Os eleitos da CDU na Câmara de Almada esclarecem num comunicado que, apesar do «curto espaço de tempo» dado pelo Executivo do PS para a apreciação dos documentos, é possível concluir que a execução das opções do plano e orçamento para 2018 «se traduz num muito baixo nível de investimento concretizado».

De acordo com a coligação PCP-PEV, não obstante a diminuição de 45% do montante investido relativamente a 2017, o que foi concretizado reporta-se a projectos «lançados e iniciados» pelo anterior executivo. Entre os exemplos citados estão as escolas básicas do 1.º ciclo da Quinta de Santa Maria na Charneca de Caparica e n.º 1 do Laranjeiro, bem como a recuperação do Chalé Ribeiro Teles, na Cova da Piedade.

«O relatório e contas de 2018 comprova também que teria sido possível concretizar a redução da taxa de IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis], tal como a CDU tem proposto», lê-se no documento, salientando que, comparativamente com 2017, o IMI cobrado em 2018 «foi superior em 1,2 milhões de euros».

Os vereadores da CDU alertam ainda para a fraca taxa de execução nas áreas da habitação (32%) e da reabilitação urbana (28%), destacando como «igualmente preocupantes» as taxas de execução apresentadas nas restantes áreas de intervenção municipal.

Tópico