|desinvestimento

O Barreiro ainda vai ter de esperar pelo investimento estruturante de que necessita

Nem reforço dos barcos da Soflusa, nem ponte rodoviária para o Seixal ou Metro Sul do Tejo, o Barreiro está fora dos grandes investimentos plurianuais estruturantes definidos pelo Governo para 2023.

Barreiro 
Barreiro Créditos / OSetubalense

A denúncia partiu dos vereadores da CDU na Câmara Municipal do Barreiro (CMB), que, em comunicado, acusam o Partido Socialista de ter abdicado de avançar com qualquer investimento central estruturante durante o próximo ano, atrasando obras essenciais à vida das populações do concelho.

«O reforço de barcos da Soflusa, a ponte rodoviária Barreiro – Seixal, o Metro Sul do Tejo e a necessária intervenção nos areais das praias» são apenas alguns dos exemplos de investimentos e infra-estruturas há muito tempo prioritários para o concelho.

Na reunião de câmara de 3 de Junho, os vereadores da CDU expressaram «o seu desagrado e inquietação» face ao anúncio do Governo relativo ao quadro dos grandes investimentos plurianuais estruturantes para o ano de 2023.

Não só para o Barreiro, estas deviam ser «prioridades» para todo o distrito, afirma a CDU, lamentando que os vereadores do PS não tenham tido «uma única palavra» a dizer sobre um assunto que afecta estruturalmente um concelho gerido pelo PS desde 2017.

O chumbo da iniciativa legislativa que pretendia a valorização e criação de carreiras na Função Pública, inviabilizada pelo PS, não vai permitir «que os trabalhadores da autarquia do Barreiro tenham uma carreira em conformidade com a sua real actividade profissional», como é o caso dos motoristas dos Transportes Colectivos do Barreiro.

Esta decisão representa outro agravo do PS ao município, rementendo os vereadores do Partido Socialista a um silêncio cúmplice.

Tópico