|Câmara Municipal de Serpa

Museu do Cante vence prémio nacional de museografia

A Associação Portuguesa de Museologia (APOM) destinguiu o museu dedicado ao Cante Alentejano, sediado em Serpa, pelo trabalho museográfico que desenvolve desde a sua inauguração, em 2021.

Créditos / VozdaPlanície

O Museu do Cante, desde as intervenções inauguradas em Agosto de 2021, apresenta o Cante de forma menos académica e de mais fácil acesso aos visitantes, apresentando muita da informação em suporte físico e em suporte digital». Era mesmo esse o objectivo da Câmara Municipal de Serpa (CMS): dar a conhecer o Cante a todos, não apenas numa perspectiva académica.

O prémio atríbuido pela APOM ao Museu do Cante, na área do Trabalho em Museografia, salienta a «organização científica das colecções em exposição», a sua criatividade e a capacidade de «criar uma relação afectiva com o público e transmitir os conteúdos programados através dos objectos e dos elementos expositivos seleccionados».

Em comunicado, a concelhia da CDU de Serpa congratula-se pelo reconhecimento que é, uma vez mais, feito ao trabalho do município, liderado desde as primeiras eleições democráticas, em 1976, pela APU/CDU. É o corolário de «uma estratégia de desenvolvimento assente na valorização da Cultura, nomeadamente do património e da música, em especial do Cante Alentejano».

Cante Alentejano, Património Cultural e Imaterial da Humanidade

A coligação que junta o PCP e o Partido Ecologista «Os Verdes» recorda que foi Serpa quem liderou, «em nome dos municípios do Alentejo, a candidatura do Cante Alentejano a Património cultural e Imaterial da Humanidade», assumindo, perante a UNESCO, o Plano de Salvaguarda para o Cante Alentejano.

Desde então, Serpa tornou-se um concelho de referência no que toca ao Cante Alentejano, «quer pelas acções que dinamiza para a sua promoção e salvaguarda, quer pelos eventos que organiza regularmente com uma vitalidade que muito se deve à disponibilidade dos grupos corais e à capacidade de iniciativa própria das associações culturais, sociais e educativas».

A APOM, fundada em 1965, tem como missão «servir a comunidade de profissionais de museus portugueses», tendo sido a primeira organização profissional ligada aos Museus a ser fundada em Portugal.

Os prémios que atribui, anualmente, pretendem «realçar a importância do papel desempenhado pelos museus e dos seus profissionais em cada comunidade e entre povos e culturas na promoção do conhecimento e da coesão social».

Tópico