|Litoral Alentejano

Grândola quer suspensão imediata do PDM

A Câmara de Grândola propõe a suspensão imediata do Plano Director Municipal (PDM) para acabar com a construção desenfreada e repensar o desenvolvimento sustentável do concelho de forma integrada. 

Créditos / Rádio Campanário

Desenhar um novo ciclo de desenvolvimento e promover um concelho mais coeso e inclusivo é o propósito da Câmara Municipal de Grândola, no distrito de Setúbal, que, através de comunicado, revela já ter iniciado um «diagnóstico profundo» sobre o concelho e elaborado uma Estratégia Integrada de Desenvolvimento Sustentável até 2030.

Em paralelo, o Executivo propõe a suspensão imediata do PDM pela Assembleia Municipal. A autarquia opõe-se a uma construção «desenfreada» e a um «crescimento sem regras», e assume que vai ter «mão pesada» contra todos os excessos e ilegalidades.

O objectivo é, segundo o Município, promover um modelo de desenvolvimento económico que respeite a natureza e previna os riscos das alterações climáticas.

«A defesa do ambiente, da natureza, e o desenvolvimento da agricultura e floresta, da economia e inovação, devem estar alinhados para garantir a sustentabilidade para o futuro e criar respostas benéficas para as populações no acesso à saúde, educação, emprego, habitação digna e cultura», lê-se na nota do Município. 

Tópico