|

Fim da Biblioteca-Museu República e Resistência já tem data marcada

O próximo dia 14 é a data fixada pela Câmara de Lisboa para encerrar a Biblioteca-Museu República e Resistência, a pretexto de obras. PCP denuncia incerteza quanto ao futuro do espólio e dos trabalhadores. 

Créditos / O Corvo

A Biblioteca Museu República e Resistência (BMRR), instalada no Bairro do Rego, possui um acervo de documentação relevante para a preservação da memória da República e da resistência anti-fascista. Apesar disso, no final de Maio foi conhecida a intenção de encerrar o espaço e a data aproxima-se. 

Será já esta quinta-feira que, a pretexto de se proceder à realização de obras, a Câmara Municipal de Lisboa irá encerrar a BMRR. Num comunicado, o PCP denuncia que a incerteza quanto ao destino deste equipamento «mantém-se».

Para tal contribui o facto de a vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, «nunca» ter respondido às perguntas feitas relativamente à natureza, prazos de execução e custos dessas obras.

Os comunistas lembram que, ao longo do processo, «foi manifestado interesse pela Junta de Freguesia das Avenidas Novas naquele espaço para uma futura biblioteca generalista de bairro», tendo sido feitas declarações pela vereadora da Cultura «no sentido de separar o espólio entre as matérias da resistência antifascista e as da República, num prejuízo claro, do ponto de vista histórico, académico e social, ao estudo destas matérias».

Por outro lado, denunciam que os trabalhadores deste espaço «não conhecem o seu futuro local de trabalho», logo que todo o espólio seja empacotado e guardado num armazém da Câmara Municipal de Lisboa, «nem se, e quando, poderão regressar à BMRR».
 
O eleitos do PCP, que em Julho viram chumbada uma proposta que previa a manutenção deste equipamento no Bairro do Rego, anunciam que já apresentaram uma recomendação para a inversão deste processo, que será discutida na próxima sessão da Assembleia Municipal de Lisboa. 

A BMRR no Bairro do Rego, projectada pelo arquitecto Keil do Amaral especificamente para albergar aquele espólio e com os fins definidos aquando da decisão de criar aquele espaço, completaria, no próximo dia 1 de Dezembro, 18 anos de actividade ligada às temáticas da República e da resistência antifascista.

Tópico