|Faro

Concessionar serviços desportivos é «privatização encapotada»

A CDU denuncia a tentativa de «privatização encapotada» por parte da Câmara de Faro, numa proposta de concurso público de concessão de serviços desportivos e de manutenção e limpeza das instalações.

Piscinas Municipais de Faro
Piscinas Municipais de FaroCréditos / Barlavento Online

A tomada de posição da CDU vem na sequência de o presidente da autarquia, Rogério Bacalhau (PSD), acusar a oposição (PS, CDU e BE) de «bloquear os serviços desportivos do concelho», ao chumbar a proposta de concurso público de concessão de serviços desportivos na área da docência e na área técnica de manutenção e limpeza das instalações desportivas.

O edil argumenta que o contrato a celebrar era em tudo semelhante ao que vigorava desde 2013 e que o chumbo compromete o normal funcionamento das piscinas municipais. A CDU contrapõe dizendo que a Câmara Municipal de Faro (CMF) «não pode desresponsabilizar-se das suas funções» e critica o «modelo de gestão» proposto já que, sublinha, com este novo concurso público, deixaria de ser municipal e passaria para a esfera de uma empresa privada. 

Entre as consequências, a coligação PCP-PEV alerta para o possível aumento de preços para o utilizador, frisando que «tão pouco se pode permitir que a CMF seja responsável pelos baixos salários dos trabalhadores e pelo seu vínculo precário (recibos verdes)».  

Os eleitos da CDU acrescentam que só «promovendo os serviços públicos,  valorizando os trabalhadores, respeitando os horários, combatendo a precariedade e aumentando os salários se criam melhores condições de vida e se caminha rumo ao progresso social e de resposta às necessidades das populações do concelho de Faro». 

Tópico