|Seixal

Câmara do Seixal investe mais de 8 milhões na requalificação das escolas

A substituição de coberturas e pavimentos são algumas das intervenções operadas pela autarquia, que continua a exigir ao Governo a remoção do amianto nas escolas dos 2.º e 3.º ciclo, e secundárias.

Os trabalhos de remoção dos telheiros degradados na Escola Básica Dr. António Augusto Louro, na Arrentela, arrancaram no dia 9 de SetembroCréditos / AbrilAbril

A Câmara Municipal do Seixal salienta num comunicado que aproveitou a pausa escolar de Verão para proceder à beneficiação das escolas da sua responsabilidade, nomeadamente do 1.º Ciclo e pré-escolar.

No total, foram mais de 30 os estabelecimentos intervencionados ao nível da «substituição de coberturas e pavimentos, beneficiação de recreios e diversos arranjos interiores e exteriores», num investimento acima de oito milhões de euros.

A autarquia frisa que investiu ainda «mais de um milhão de euros na remoção de coberturas de fibrocimento (amianto) em 14 escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico, procedendo depois à colocação de novas coberturas», capazes de garantir melhores condições de segurança e saúde, e de conforto térmico.

Ao mesmo tempo, continua a exigir ao Governo a remoção do fibrocimento existente nas escolas básicas dos 2.º e 3.º ciclos e secundárias, e que «esses 13 estabelecimentos de ensino da sua responsabilidade sejam alvo de obras de valorização e de construção de equipamentos, nomeadamente dos cinco pavilhões desportivos escolares em falta».

Porque «a pandemia da covid-19 não nos pode afastar do direito universal à educação», refere o presidente da Câmara do Seixal, citado na nota, a autarquia está a acompanhar as medidas e planos de contingência necessários ao regresso das crianças e jovens às escolas, tendo decidido ainda atribuir dez bolsas a estudantes de Ensino Superior, no valor global de 12 500 euros, e 20 bolsas a alunos do Secundário, no valor total de 15 mil euros. 

Joaquim Santos reforça que é «importante assegurar a igualdade de oportunidades a todos os estudantes do Município», tanto no acesso aos materiais didácticos, como a espaços físicos renovados e requalificados.

Tópico