|DGArtes

Câmara de Montemor-o-Novo subscreve Manifesto em Defesa na Cultura no Alentejo

Em causa está a divulgação dos resultados dos apoios públicos às artes, que deixam de fora estruturas artísticas do concelho de Montemor-o-Novo. Eleitos do PS opuseram-se à subscrição.

Apesar dos 75% de pontuação final, o Projecto Ruínas é uma das estruturas artísticas do Alentejo que ficaram sem apoios
Apesar dos 75% de pontuação final, o Projecto Ruínas é uma das estruturas artísticas do Alentejo que ficaram sem apoiosCréditos / DGArtes

Num comunicado, a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo (CDU), no distrito de Évora, apelida a situação de «muito preocupante», já que «limita os cidadãos no seu direito de acesso à cultura», ao mesmo tempo que apresenta uma «linha de liquidação e de desinvestimento, com consequências graves para as estruturas de criação artística da região».

Entre as que ficaram sem apoios da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) para o biénio 2020/2021 contam-se a Algures – Colectivo de Criação e o Projecto Ruínas. Neste sentido, a autarquia apela ao Governo para que reveja o modelo de financiamento das estruturas artísticas em Portugal e garanta o apoio necessário à sua actividade, de modo a assegurar a produção e o trabalho criativo no concelho.

«Porque estes resultados vêm criar grandes dificuldades às estruturas de criação artística, ao recusar financiamento e apoios essenciais para manter a sua actividade em prol das populações e do desenvolvimento do concelho», a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo manifestou mais uma vez solidariedade ao subscrever o Manifesto em Defesa na Cultura no Alentejo. Esta subscrição, lê-se na nota, foi aprovada por maioria, tendo merecido os votos contra dos vereadores do PS.

Tópico