|mobilidade e transportes

Alcácer do Sal volta a ter transporte público

Chama-se Nónio, em homenagem ao matemático e astrónomo Pedro Nunes, e começa a circular esta terça-feira, permitindo aproximar a população dos bairros limítrofes ao centro urbano de Alcácer do Sal.

O novo sistema de transporte urbano colectivo vai abranger cerca de 6500 pessoas
O novo sistema de transporte urbano colectivo vai abranger cerca de 6500 pessoasCréditos

Há cerca de dez anos que a população desta cidade do Litoral Alentejano não dispunha de transporte colectivo para simplificar as tarefas do dia-a-dia, como uma ida às compras, ao centro de saúde ou a outros serviços públicos.

O novo sistema de transporte urbano do Município, que entra hoje em vigor, começou a ser estudado pelo actual Executivo logo após as autárquicas de 2017. «As pessoas pediam», recordou ao AbrilAbril o presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, na viagem experimental realizada no passado dia 24 de Maio.

A par de alguma população envelhecida e com carências económicas, Alcácer do Sal «tem uma orografia complicada, que conduz a dificuldades para as pessoas andarem a pé, para se deslocarem, e é neste sentido que este Executivo entendeu concretizar este projecto», explicou Vítor Proença, sublinhando que «a mobilidade é uma das prioridades que [as pessoas] mais valorizam».

A autarquia constitui-se como autoridade municipal de transportes e assume a gestão directa do sistema a 100%, já que o recurso a operadores de transportes privados «era mais caro». De forma a poupar custos e «ter o volante na mão», a Câmara Municipal de Alcácer do Sal preparou todo o projecto com a empresa de consultoria TIS, que deu uma ajuda em questões como a bilhética, percursos, frequência, horários e características das duas viaturas que o Município adquiriu propositadamente para este fim. «Essa consultoria é um saber que nós internamente não tínhamos, consideramos que foi um bom investimento», constatou o presidente. 

Com um custo anual de cerca de 120 mil euros, e proveitos estimados na ordem dos 20 mil, esta é, realçou Vítor Proença, uma «grande iniciativa social, em que as pessoas são colocadas em primeiro lugar». Também por isso o projecto é inclusivo, uma vez que cada autocarro pode transportar uma cadeira de rodas.  

Três circuitos, cerca de 30 quilómetros

O novo serviço de transporte da Câmara Municipal de Alcácer do Sal abarca um percurso contínuo, que abrange três zonas, com passagens pelo centro da cidade a cada 30 minutos.

Os circuitos Este (13 quilómetros), Sul (10,6 quilómetros) e Norte (9,6 quilómetros) são os três definidos, assegurando a passagem por todos os bairros da periferia da cidade e ligação a destinos como as piscinas municipais cobertas, zona comercial, Câmara e centros de Saúde e de Emprego.  

O Terminal Rodoviário de Alcácer do Sal, propriedade do Município, é o ponto de partida e de chegada dos dois autocarros, no período entre as 7h e as 13h, sempre nos dias úteis. 

Todos os bilhetes podem ser comprados a bordo, já os passes mensais devem ser adquiridos nos Serviços Técnicos Municipais (edifício da Abegoaria). O bilhete simples custa um euro e o bilhete diário 2,5 euros. Os pré-comprados de cinco e dez viagens custam, respectivamente, quatro e sete euros. O preço do passe mensal é de 16 euros. Para os maiores de 65 anos ou com carências económicas, o valor desce para 9,6 euros. 

Atendendo às medidas preventivas da propagação da Covid-19, os autocarros cumprirão a lotação de dois terços e todos os requisitos de segurança estipulados pela Direcção-Geral da Saúde. 

Tópico