|Cuba

Solidariedade com Cuba em nova jornada mundial contra o bloqueio

Nos últimos dias, muitas vozes uniram-se em torno da solidariedade com Cuba e da mensagem contra o bloqueio que lhe é imposto pelos EUA. Em Portugal, estão agendadas iniciativas para dias 14 e 18.

Solidariedade com Cuba em Dominica 
Solidariedade com Cuba em Dominica Créditos / @CubaMINREX

Na sua conta de Twitter, a diplomata cubana Anayansi Rodríguez Camejo, vice-ministra dos Negócios Estrangeiros, destacou a solidariedade recebida no âmbito de mais uma jornada mundial contra o bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos, considerado um dos principais factores que impedem o desenvolvimento do país caribenho.

«Este fim-de-semana outra jornada mundial de solidariedade com Cuba, todos #JuntosXCuba em diversas latitudes reclamando #EliminaElBloqueo», escreveu a representante governamental.

Figuras públicas, activistas, personalidades, associações de cubanos residentes no estrangeiro e amigos da Ilha transmitiram, de diversas formas, o seu apoio à Revolução, condenaram o bloqueio, bem como as tentativas de subverter a ordem constitucional, quando passa um ano sobre os distúrbios de 11 de Julho de 2021, instigados e financiados pelos EUA, segundo denunciaram as autoridades cubanas.

Cartaz da iniciativa solidária com Cuba em Portugal 

Em países como México, Bolívia, Itália, Argentina, Equador, França, Estados Unidos, Dominica, Nicarágua, Espanha, Suíça, Austrália, Guatemala, Alemanha e Canadá houve iniciativas solidárias e mensagens a sublinhar que «Cuba não está sozinha».

Em Portugal, a Associação de Amizade Portugal-Cuba, em conjunto com outras organizações, promove acções solidárias com Cuba e contra o bloqueio nos próximos dias 14, em Lisboa (Rossio, 18h), e 18, no Porto (Universidade Popular do Porto, 18h), com o lema «Fim ao bloqueio! Solidariedade com Cuba! América Latina livre e soberana!».

Díaz-Canel: a 11 de Julho, Cuba celebra uma vitória da Revolução

Ao participar, este domingo, numa jornada de produção com a juventude na província de Artemisa, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, disse que o verdadeiro significado do 11 de Julho de 2021 foi uma vitória da Revolução e outra derrota para o império.

Em declarações à imprensa, o chefe de Estado afirmou que, se há alguma coisa que celebrar, é a vitória do povo face às tentativas de levar a cabo um «golpe suave».

«Houve acontecimentos desagradáveis, ocorreram acções de vandalismo com uma crueldade e vulgaridade tremendas, mas o povo veio para as ruas defender a Revolução e em menos de 24 horas já não havia distúrbios», acrescentou, citado pela Prensa Latina.

Disse ainda que, agora, sobretudo a partir de Miami (EUA), se procura assinalar a data apelando a rupturas com base em posicionamentos violentos, atentando contra a tranquilidade dos cidadãos, com uma linguagem de ódio e violência, como aconteceu ao longo de todo o último ano.

«A Revolução tem estado sempre a revolucionar-se a si mesma, mas num contexto de constante cerco económico, político, mediático, com um bloqueio reforçado, do qual o povo vai sair revolucionando e mostrando cada vez mais a resistência criativa», afirmou Díaz-Canel.

Tópico