|Síria

Quatro soldados sírios mortos em ataque israelita contra a região costeira

Pelo menos quatro militares sírios morreram e um outro ficou ferido, esta madrugada, na sequência de um ataque israelita com mísseis contra diversos pontos no Centro e Oeste do país levantino.

Ataque israelita contra a região de Homs em 2020 
Ataque israelita contra a região de Homs em 2020 Créditos / Al Mayadeen

«Por volta das 6h30 [hora local] deste sábado, o inimigo israelita perpetrou uma agressão a partir do Mar Mediterrâneo, na direcção [da cidade] de Banyas, atingindo várias áreas nas regiões central e costeira», informou o Ministério da Defesa numa nota divulgada pela agência Sana.

As defesas anti-aéreas interceptaram a maioria dos mísseis disparados pelos aviões militares israelitas, acrescentou a fonte, revelando que o ataque aéreo provocou quatro mortos e um ferido entre os soldados sírios, além de danos materiais.

Fontes militares sírias consultadas pela agência Prensa Latina afirmaram que os quatro soldados mortos se encontravam numa das baterias de defesa anti-aérea e que a sua morte se ficou a dever ao impacto de um míssil israelita.

Desde o início do ano, Israel levou a cabo três dezenas de ataques contra território sírio, o mais recente dos quais ocorrera no passado dia 13, contra a base aérea de al-Shayrat, perto da cidade de Homs (junto à linha que liga Damasco a Alepo).

Na sequência da agressão, concretizada a partir do espaço aéreo libanês, dois soldados israelitas morreram e outros três ficaram feridos.

«Regime israelita ameaça a paz e a segurança na região»

As autoridades sírias, que têm denunciado reiteradamente os ataques frequentes de Israel a território nacional, instaram o secretário-geral das Nações Unidas e o presidente do Conselho de Segurança da ONU a «emitirem uma condenação clara» desses ataques, considerando que «o regime de ocupação israelita está novamente a ameaçar a paz e a segurança na região».

Num comunicado recente, subsequente a um ataque no final de Outubro, o Ministério sírio dos Negócios Estrangeiros fez um apelo à criação de uma nova ordem mundial, que respeite mais a Carta das Nações Unidas e que ponha fim, de facto, «às medidas arbitrárias e práticas criminosas do regime israelita nos territórios árabes ocupados».

«Infelizmente, a falta de adesão dos países ocidentais aos princípios e objectivos da Carta das Nações Unidas, as suas políticas agressivas e coloniais, bem como os seus dois pesos e duas medidas, juntamente com o saque das riquezas naturais dos países em desenvolvimento, minaram o papel fundamental da organização intergovernamental», denunciou o governo sírio.

Tópico