|Cuba

Obra sobre Fidel analisa a construção do socialismo em Cuba

El pensamiento estratégico de Fidel Castro Ruz: Valor y vigencia é um tributo ao líder histórico da Revolução e procede a uma análise especializada da sua experiência na construção do socialismo na Ilha.

CréditosMarcelino Vázquez Hernández / ACN

O volume, que foi apresentado há uma semana na Imprenta Federico Engels, em Havana, é uma colectânea de artigos de vários autores, que foram compilados por Rafael Hidalgo Fernández.

Ontem, no âmbito das comemorações dos 95 anos do nascimento de Fidel (13 de Agosto de 1926), a obra recém-publicada pela Editora Historia, do Instituto de História de Cuba, voltou a estar em destaque na capital, desta vez na Casa del Alba.

Durante a sessão de apresentação do volume, os investigadores afirmaram que o texto reúne as ideias políticas, martianas e marxista-leninistas, bem como a relação dialéctica entre passado, presente e futuro na tomada de decisões por parte do estadista.

Em declarações à agência Prensa Latina, o presidente do Instituto de História de Cuba, Yoel Cordoví, disse que o volume compendia numerosas facetas, olhares e linhas de pensamento do Comandante, configurando-se como uma abordagem a partir das áreas da economia, filosofia, pedagogia, história e sociologia.

«Conhecer a obra de Fidel não é repetir ou aprender de cor as suas frases, é entender a lógica, como descreve a sua realidade, a entende e a transforma a partir das características de um país colonial, primeiro, neocolonial, depois, e a apenas 90 milhas de uma potência beligerante e hostil», afirmou.

A Revolução jamais se explicará sem a compreensão integral da liderança estratégica de Fidel

Cordoví destacou como esta selecção motiva a leitura e a reflexão, mostrando um líder que procura soluções para questões imediatas e concretas, e também o visionário que adverte o elemento circunstancial, a estratégia, o cenário e a projecção do futuro.

A obra, dedicada ao comandante Manuel Piñeiro Losada e a José M. Miyar Barruecos (Chomy), reúne textos de 14 autores, académicos, estudiosos, professores em diversas áreas, que decidiram contribuir para a compilação depois de ser lançado o repto.

Entre os temas abordados constam as relações económicas internacionais, o socialismo como condição para o desenvolvimento, a luta pela democracia e as raízes históricas de uma cultura solidária.

No prefácio, o compilador afirma que a história da Revolução cubana e das lutas que a antecederam, entre 1952 e 1958, «jamais se poderão explicar se se prescinde de uma compreensão integral da liderança prevenida e estratégica (a de Fidel), assim como do seu magistério político, sempre sustentados na premissa essencial de que tudo quanto se fizer em nome da Revolução deve ter como centro vital os interesses, as demandas e as aspirações do sujeito popular cubano».

Tópico