|Bolívia

Governo boliviano potencia sector mineiro e combate actividade ilegal

O presidente da Bolívia comprometeu-se, esta quinta-feira, a executar uma série de projectos em prol do sector mineiro nacional. Também deu instruções para o combate frontal à extracção ilegal.

Créditos / @LuchoXBolivia

Numa reunião com representantes da Federação Regional de Cooperativas Mineiras do Norte Potosí e da Federação Nacional de Cooperativas Mineiras (Fencomin), o chefe de Estado boliviano destacou o papel que as cooperativas assumem no sector, criando empregos e gerando rendimentos, e trazendo beneficíos sobretudo para a região do Norte de Potosí.

Na Casa Grande del Pueblo, em La Paz, Luis Arce sublinhou que o seu governo vai continuar a trabalhar com as cooperativas e a ajudá-las, tendo vincado a intenção do seu executivo de honrar os pagamentos em falta do Estado às cooperativas mineiras.

Por seu lado, Octavio Ramos, presidente da Fencomin, agradeceu ao presidente da República e declarou o apoio ao processo de mudança em curso, bem como à gestão do actual governo.

Em conferência de imprensa, o presidente da Federação de Cooperativas Mineiras do Norte de Potosí, René Torrez, também se manifestou no mesmo sentido: «A Federação está e estará sempre com o processo de mudança, e garante o apoio à gestão dos irmãos Lucho [Luis Arce] e David [Choquehuanca]», disse, citado pela ABI.

O sector mineiro constitui uma das principais actividades económicas do país andino-amazónico, dado o enorme potencial de recursos existente.

Actualmente, são exploradas jazidas de lítio, ouro, zinco, manganês, prata, volfrâmio, antimónio, bismuto, cádmio, cobre, além dos chamados minerais raros ou não tradicionais, como índio, platina e paládio.

Voos de reconhecimento no departamento de La Paz, para identificar áreas de mineração ilegal / ABI

Voos para identificar áreas de extracção mineira ilegal

Funcionários do Ministério das Minas realizaram, esta quinta-feira, voos de reconhecimento com vista à identificação de áreas onde se desenvolvem actividades ilegais no departamento de La Paz.

De acordo com o titular da pasta das Minas, Ramiro Villavicencio, trata-se de uma primeira etapa, levada a cabo em coordenação com o Ministério da Defesa e por instrução do presidente Luis Arce.

Segundo explicou à Agencia Boliviana de Información (ABI), existem duas motivações fortes para realizar este controlo: a defesa da actividade mineira legal, que representa exportações importações importantes para o país; a questão ambiental.

«Também abordámos a questão ambiental. Temos rios e áreas naturais que todos devemos preservar. Temos instruções precisas nesta matéria. Temos de evitar a contaminação», disse o ministro, sublinhando que as operações de combate à extracção mineira ilegal e defesa do ambiente se vão intensificar.

Tópico