|Brasil

Bolsonaro oferece base aos EUA, irrita militares brasileiros

O estabelecimento de uma base militar dos EUA no Brasil, oferecido por Jair Bolsonaro, apanhou de surpresa os militares brasileiros. Estes estão contra e defendem zelosamente a soberania nacional.

Mulheres do Exército Brasileiro marchando.
Mulheres do Exército Brasileiro marchando.Créditos / Wikipedia commons

O novo presidente do Brasil é um fervoroso admirador não só do modelo económico e social estado-unidense como do seu actual presidente, Donald Trump. O seu anseio de total alinhamento total com a política imperial americana condu-lo, porém, a extremos incompatíveis com a sua posição de presidente do mais poderoso país da América do Sul.

Depois do alinhamento com os EUA na questão do estabelecimento das embaixadas na Jerusalém ocupada e de ter manifestado a sua disponibilidade para uma intervenção na Venezuela, Jair Bolsonaro foi mais longe e, em entrevista televisiva na passada sexta-feira, manifestou-se disponível para o estabelecimento de uma base militar norte-americana em território brasileiro, alegadamente «para contrariar a influência russa na Venezuela», informa a Reuters, acrescentando que «este passo representa uma violenta viragem na política exterior brasileira».

A atitude do novo presidente, segundo uma fonte militar declarou à referida agência, a coberto do anonimato, terá surpreendido e contrariado os militares brasileiros, que tradicionalmente se vêm como guardiões zelosos da soberania nacional.

No sábado, o Ministério da Defesa manifestou-se não informado sobre o assunto. A major Sílvia Martins, porta-voz do ministerial, foi clara: «o presidente não discutiu este assunto com o ministro da Defesa», declarou.

As declarações de Jair Bolsonaro surgiram depois de o Secretário da Defesa Mike Pompeo, que representou Donald Trump na tomada de posse do presidente brasileiro, ter declarado a jornalistas que os EUA e o Brasil «têm uma oportunidade de trabalhar lado a lado contra regimes autoritários» na região, nomeadamente a Venezuela, Cuba e Nicarágua.

O ministro dos Negócios Estrangeiros Ernesto Araújo – cuja escolha tem sido severamente criticada por não se apresentar à altura das tradições diplomáticas do Brasil – confirmou a vontade de Bolsonaro em permitir uma base dos EUA no país. O presidente brasileiro deverá discutir o assunto com Donald Trump durante uma visita que, segundo o Estado de São Paulo, espera vir a realizar a Washington, em Março a Washington.

Tópico