|Palestina

Atingidos pelos israelitas em Gaza, 2 palestinianos não resistem aos ferimentos

Dois jovens palestinianos atingidos a tiro pelas forças israelitas quando participavam nos protestos da Grande Marcha do Retorno, em Gaza, não resistiram aos ferimentos e faleceram esta semana.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/7590.jpg?itok=T6VURv-E
De acordo com o Ministério da Saúde em Gaza, 206 palestinianos ficaram feridos esta sexta-feira nos protestos da Grande Marcha do Retorno
De acordo com o Ministério da Saúde em Gaza, 206 palestinianos ficaram feridos esta sexta-feira nos protestos da Grande Marcha do Retorno Créditos / middleeastmonitor.com

«Osama Khalil Abu Khater, de 29 anos, morreu como consequência de ferimentos na barriga, depois de, anteontem, ter sido atingido a tiro pelo inimigo israelita a leste de Khan Younis», disse esta manhã Ashraf al-Qudra, funcionário do Ministério palestiniano da Saúde em Gaza.

Na Internet, é possível ver imagens do cortejo fúnebre, com Khater, envolto numa bandeira da Palestina, a ser acompanhado por centenas de pessoas pelas ruas de Gaza.

Ainda de acordo com o Ministério, nos protestos de sexta-feira passada, em que Abu Khater foi atingido, 206 palestinianos ficaram feridos na sequência da repressão israelita, na sua grande maioria devido à inalação de gás lacrimogéneo.

Trinta terão sido atingidos por fogo real junto às vedações da Faixa de Gaza cercada, num protesto que foi designado como «Sexta-Feira dos Feridos», para prestar tributo a todos aqueles que foram feridos pelas forças israelitas desde o começo da Grande Marcha do Retorno, a 30 de Março, indica a PressTV.

Na quinta-feira, a agência Ma'an revelou que Muhammad Ghassan Abu Farhana, de 23 anos, também não resistiu aos ferimentos sofridos durante esses protestos a 14 de Maio último, tendo falecido na quarta-feira à noite.

Foi precisamente a 14 de Maio – véspera do Dia da Nakba e dia em que os EUA mudaram oficialmente a sua embaixada de Telavive para Jerusalém – que a repressão das forças israelitas atingiu o ponto mais alto na Grande Marcha do Retorno, um protesto com que os seus organizadores pretendem reivindicar o direito dos refugiados a regressar às suas casas.

De acordo com o Ministério da Saúde em Gaza, mais de 130 palestinianos foram mortos e quase 14 mil foram feridos pelas forças militares israelitas desde 30 de Março. Trezentos estão hospitalizados em estado grave.

Tópico