|México

Apoiado por uma multidão, presidente mexicano destaca as conquistas da sua gestão

Há quem fale em dois milhões de pessoas e até mais para se referir à participação na marcha de apoio a Obrador, este domingo, na Cidade do México. Num Zócalo abarrotado, o presidente enumerou as conquistas.

Uma multidão junto à Glorieta do Anjo da Independência segue em direcção ao Zócalo, a 27 de Novembro de 2022 
Uma multidão junto à Glorieta do Anjo da Independência segue em direcção ao Zócalo, a 27 de Novembro de 2022 CréditosPablo Ramos / La Jornada

A marcha entre o Anjo da Independência e a Praça do Zócalo, no centro da capital mexicana, deixou imagens impressionantes de uma maré humana de apoio a Andrés Manuel López Obrador e ao projecto político que leva a cabo no país latino-americano.

A marcha popular, que reuniu pessoas provenientes dos 31 estados do país e avançou de forma lenta – durou cerca de seis horas no total, segundo o La Jornada –, serviu para assinalar os quatro anos de governo do executivo de Obrador, que tomou posse como presidente do México a 1 de Dezembro de 2018, derrotando os candidatos conservadores.

Algumas fontes afirmam que a marcha de apoio a Obrador, no quarto aniversário da tomada de posse, reuniu cerca de dois milhões de pessoas na Cidade do México / @lajornadaonline

No Zócalo, a abarrotar de gente e onde apenas conseguiu entrar uma parte dos que participaram na marcha, López Obrador apresentou o quarto relatório daquilo que designa como a Quarta Transformação da vida social e económica do México na sua história recente, depois das que foram lideradas por Miguel Hidalgo em 1810, por Benito Juárez em 1857 e por Francisco Madero em 1910 (a Revolução Mexicana).

«Humanismo Mexicano»

Ao apresentar o quarto relatório da acção governativa ao povo, Obrador afirmou que o seu legado de governo deverá ser definido como Humanismo Mexicano, tendo em conta a orientação social das suas políticas, indica o La Jornada.

Afirmando que esse Humanismo se nutre «do pensamento universal», o presidente do México disse que, na sua essência, «surge da milenária riqueza cultural mexicana e da fecunda história nacional».

Neste sentido, defendeu a independência e a soberania do país norte-americano, a não aceitação de imposições, a sua vocação de dever ao povo e a proclamação de Hidalgo de que o povo que quiser ser livre sê-lo-á.

Combate à pobreza, apostas na Saúde e na Educação

Num discurso de quase duas horas, Andrés Manuel López Obrador enumerou as principais 110 acções cumpridas na sua gestão, que passam pelo combate à pobreza, os apoios a programas sociais, a dignificação dos povos indígenas, a defesa dos direitos individuais e colectivos.

O chefe de Estado destacou ainda o aumento do salário mínimo nacional em 62%, bem como o aumento das remessas enviadas pelos mexicanos residentes no estrangeiro, a reforma laboral, a política de saúde gratuita, a luta contra a precariedade e o crescimento económico do país.

No Zócalo ou Praça da Constituição, uma parte dos participantes na marcha ouviu o discurso de López Obrador // Roberto García Ortiz / La Jornada

No que respeita à Educação e à Saúde, sublinhou a aposta na construção de infra-estruturas escolares e universitárias, as bolsas para estudantes de todos os níveis de ensino, a contratação de médicos pelo Estado e a vacinação de toda a população contra a Covid-19.

Fim dos perdões fiscais a milionários e avanços na luta contra o crime

López Obrador deu particular ênfase aos avanços no combate ao roubo de gasolina, à corrupção e ao gasto supérfluo na administração pública, ao mesmo tempo que, disse, se acabou com os perdões fiscais a milionários no país.

Outro dos elementos destacados por López Obrador foi o avanço na «batalha contra a violência e o crime, sem lhe declarar guerra, como faziam governos anteriores, mas atacando as causas que estão na sua origem».

Obrador disse que o petróleo e todo o combustível que se produz no México já é propriedade do povo, tendo ainda destacado grandes obras terminadas ou que estão em construção, ao nível da indústria e das infra-estruturas de transportes.

Tópico