|cinema

«Sortes» de Mónica Martins Nunes é melhor média-metragem alemã

Filmado em Serpa, no Alentejo, e produzido pela Primeira Idade, o documentário foi distinguido com o Prémio para Melhor Média-Metragem Alemã do Ano, nos Deutscher Kurzfilmpreis. 

Créditos / Primeira Idade

Na noite desta quinta-feira, em Hamburgo, a realizadora Mónica Martins Nunes recebeu das mãos da ministra da Cultura da Alemanha, Claudia Roth, o Prémio para Melhor Média-Metragem Alemã do Ano nos Deutscher Kurzfilmpreis – equivalentes aos César, em França, ou aos Prémios Sophia, no nosso país, pelo filme Sortes. 

«As terras, na alentejana serra de Serpa, eram distribuídas à sorte. E também à sorte – dos elementos – vivem aqueles que trabalham o campo. À incerteza da agricultura opõem-se as quadras certeiras da poesia popular», lê-se na sinopse do filme, que conta com a chancela da Primeira Idade e teve apoio financeiro do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) e do Elsa-Neumann-Stipendium des Landes Berlin (Alemanha).

O trabalho de Mónica Martins Nunes foi mostrado ao público, pela primeira vez, em Abril de 2021, em Nyon (Suíça), no Festival Visions du Réel. Em Portugal, Sortes teve estreia na competição do Curtas Vila do Conde, tendo sido exibido aí, mas também no Cinema Trindade, no Porto, e no Cinema Ideal, em Lisboa. Sortes foi exibido igualmente no festival de cinema de Évora (FIKE), onde foi distinguido com o Prémio do Público.

Em Dezembro passado, o documentário esteve em mais de 20 salas do País, por ocasião do evento «O Dia Mais Curto», promovido pela Agência da Curta-Metragem. 

Tópico