|teatro

Sobe ao palco a violência sobre as mulheres na guerra da Bósnia

A mulher como campo de batalha, de Matéi Visniec, 70.ª criação d'A Escola da Noite, estreia esta quinta-feira no Teatro da Cerca de São Bernardo, em Coimbra.

Créditos / Blogs O Globo

Com o título alternativo, proposto pelo próprio autor, Do sexo da mulher como campo de batalha na guerra da Bósnia, a peça foi escrita em 1996 e constitui um pujante retrato da guerra e da forma particular como as mulheres são vítimas directas e indirectas da barbárie, nesta, como noutras guerras.

Entre 1992 e 1995, milhares de mulheres e meninas foram submetidas a vários tipos de abuso sexual na Bósnia-Herzegovina. As estimativas variam entre 20 mil e 50 mil. O número exacto nunca será conhecido, já que muitas das vítimas se remeteram ao silêncio.

«Dorra, vítima de violação durante a guerra da Bósnia, conhece Kate, psicanalista norte-americana, já fora do território em que as atrocidades foram cometidas. A relação que se estabelece entre as duas personagens e as memórias de cada uma convocam-nos para uma reflexão sobre os nacionalismos, a xenofobia e a violência extremas», lê-se na sinopse divulgada pel'A Escola da Noite.

Com encenação de Sofia Lobo, o espectáculo conta com as interpretações de Ana Teresa Santos e Paula Garcia, e estende-se até 6 de Dezembro, intercalado com outra programação do Teatro da Cerca de São Bernardo

Tópico