|Seixal

Oficina Manuel Cargaleiro no Seixal acolhe «Do Princípio do Mundo»

«Do Princípio do Mundo», iniciativa inspirada nos cinco elementos das culturas chinesa e ayurvédica indiana, será inaugurada no dia 4 de Fevereiro, às 16h, na Oficina de Artes Manuel Cargaleiro.

Créditos / Câmara Municipal do Seixal

O projecto nasce da residência artística de Fernando Mota, decorrida na Oficina entre Setembro e Novembro de 2022, e inspira-se nos cinco elementos naturais da cultura chinesa (madeira, fogo, terra, metal e água), e em igual número de elementos da cultura ayurvédica indiana (espaço, ar, fogo, água e terra).

A iniciativa contempla a criação e edição de objectos artísticos de várias naturezas e linguagens, aprofundando a pesquisa iniciada pelo artista em 2020, em plena pandemia, com o filme 7 Poemas para Um Mundo Novo, apresentado no Moinho de Maré de Corroios e premiado posteriormente com o Prémio Melhor Direcção de Fotografia em Filme de Arte e Ensaio.

Fernando Mota desenvolve e cria instrumentos musicais e objectos sonoros a partir de árvores, rochas e outros elementos da natureza. No dia da inauguração da instalação audiovisual/exposição realiza-se também um concerto «Do Princípio do Mundo», dirigido ao público juvenil e adulto, «que junta instrumentos musicais experimentais (criados a partir de árvores, rochas e outros materiais naturais) a um conjunto de pesquisas e técnicas que procuram gerar música e expressão sonora através da manipulação da água, da terra, do vento e de vários elementos e matérias da natureza», refere a Câmara Municipal do Seixal num comunicado.

«A forma como o artista concebe esta actividade é orientada para a fruição dos sons, independentemente da sua origem», lê-se na nota. Fernando Mota propõe-se encontrar «a vibração, o som e a música de cada local, compondo estruturas musicais convencionais (com ritmos, melodias e harmonias), até à submersão nos sons ocultos debaixo de água, da terra ou dentro da rocha, sons que não são captados pelo ouvido humano mas apenas por equipamento de gravação especial, tais como hidrofones, geofones e microfones de contacto». O resultado, conclui o comunicado, «é uma criação e interpretação musical e sonora do espírito do lugar e não a sua mera representação».

Para o dia da inauguração, pelas 10h30, está programado ainda um passeio sonoro pela Quinta da Fidalga. Aberto ao público em geral e com a duração de 45 minutos, é dedicado a ouvir o meio ambiente e orientado para a fruição dos sons, independentemente da sua origem ou significado.

Tópico