|Música

«Novembro», a despedida das canções de Pedro Barroso

O último álbum de Pedro Barroso, gravado há um ano, tem o título Novembro e já está disponível no mercado nacional. 

Créditos / Médio Tejo

Novembro é a herança do músico e pintor, Pedro Barroso, que faleceu no passado mês de Março, aos 69 anos. A gravação do disco aconteceu em Novembro de 2019, mês em que comemorava o seu aniversário, e Pedro Barroso, da geração dos que cantaram a resistência, apontou-o então como a sua «despedida das canções».

O álbum conta com a participação do músico espanhol Patxi Andión, que morreu em Dezembro do ano passado. Andión e Barroso partilham a canção Rumos, que abre o alinhamento do disco.

Sobre a participação de Andión, Pedro Barroso afirmou à Lusa que «a escolha tímbrica e o simbolismo desta geração ibérica de cantores de luta e da sensibilidade, diz tudo. Ambos nos estreámos no [programa televisivo] Zip Zip, em 1969. Também aí é histórico».

Na canção Rumos, Barroso interroga: «Que lutas nos sobram, que ninhos/ Que gaivotas esvoaçam pelo mar?/ Que sustos, e dores e caminhos/ Que causas inda' há para lutar?»

E termina, afirmando: «Aqui vos deixo esse aviso/ Por tudo o que quis urgente/ Viver é sempre improviso/ Por isso mesmo é preciso/ Crescer nas bermas do vento».

Num texto incluído neste álbum, Pedro Barroso afirma que se regia pela busca do «Belo» e dos «Valores», «algo sempre pessoal e distinto».

Sobre si escreveu que perseguiu sempre «aquilo que [lhe era] tão essencial respirar em arte, busca, olhar, harmonia», referindo que «as prioridades variam em todos nós».

Num esboço sobre a sua militância artística e cívica, no mesmo texto escreveu: «Atravessei os dias deste País, desde o velado e negro ao entusiasmo da estrada descoberta. Ao fim de uma vida cheia de episódios, amores, paixões e acreditares vários, as nossas exortações reduzem e transformam-se. Mas que nunca pereça o sentido maior da Liberdade».

Ao longo da carreira de 50 anos, o músico actuou em todo o País e efectuou concertos em Espanha, França, Croácia, Canadá, Estados Unidos, Brasil, Países Baixos, Bélgica, Suécia, Suíça, Luxemburgo, Hungria, Alemanha e China.

Foi distinguido com vários prémios nacionais e no estrangeiro, e recebeu a Medalha de Honra da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

Com agência Lusa

Tópico