|cultura popular

Jornadas de cultura popular em Coimbra

O Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC), promove, entre 23 de Abril a 8 de Maio, as XVIII Jornadas de Cultura Popular, sob o signo de «Festa, Ritos e Gentes».

O aumento das propinas foi acompanhado de cortes no investimento público em educação
CréditosAlves Gaspar / CC BY-SA 3.0

O GEFAC, fundado em 1996 por estudantes da Universidade de Coimbra, procura com estas jornadas, uma realização bienal, proporcionar à cidade momentos de reflexão sobre a cultura popular e promover o encontro dos conibricenses com a sua cultura e também com a de outros povos.

Do conjunto de eventos destas Jornadas de Cultura Popular, destacamos, por um lado, as conversas: a primeira sobre a repressão durante a ditadura fascista, no âmbito das Comemorações do 25 de Abril do Ateneu de Coimbra e, uma segunda, que interliga Portugal, Galiza e o nordeste do Brasil, procurando a festa e a cultura popular como pontos de encontro destas três regiões. Por outro, para além do espectáculo «Como faz a Primavera», uma estreia da mais recente produção do GEFAC, haverá nas tricanas de Coimbra um baile mandado que atravessa o território galaico-português, orientado por Mercedes Prieto e Sergio Cobos e também uma oficina de danças tradicionais brasileiras guiada por Rosane Almeida.

No mini auditório Salgado Zenha da Associação Académica de Coimbra, será projetada uma sessão de cinema focada nas festas de Inverno da região transmontana.

O público mais novo não foi esquecido e contará com uma sessão de teatro de marionetas, a "BZZZOIRA MOIRA”, da companhia Mandrágora.

Ao longo de todo o evento decorrerá, paralelamente, a exposição fotográfica «Rituais do corpo e da Alma» na zona do Quebra Costas, que nos dará a conhecer, através da perspetiva e experiência dos fotógrafos Egídio Santos e Arnaldo Carvalho, vários ritos e festas da Península Ibérica.

Tópico