|Karl Marx

Cinco ideias de Karl Marx que continuam válidas

No dia do aniversário do nascimento de Karl Marx, lembram-se algumas ideias do filósofo, economista e lutador pela emancipação dos trabalhadores do sistema do capital.

Instalação do artista Ottmar Hörl, numa das praças emblemáticas de Trier, a 5 de Maio de 2013, para celebrar a passagem do 195.º aniversário do nascimento, naquela cidade alemã, de Karl Marx.
Instalação do artista Ottmar Hörl, numa das praças emblemáticas de Trier, a 5 de Maio de 2013, para celebrar a passagem do 195.º aniversário do nascimento, naquela cidade alemã, de Karl Marx. Créditos / Pinterest

Karl Marx nasceu a 5 de Maio de 1818 em Trier e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. O filósofo e economista que dedicou a sua vida ao estudo do sistema do capital foi também um revolucionário consequente, que pôs o seu talento ao serviço da emancipação da classe operária e dos trabalhadores e lançou as bases do socialismo científico.

Marx continua a ser recordado e lido por milhões de pessoas no mundo inteiro, geração após geração. A teoria de Marx mudou a forma de entender o mundo, a economia e a sociedade capitalista. Da lei da mais-valia à alienação do trabalho recordam-se aqui, hoje, cinco ideias suas cuja actualidade permanece.

1. «A história de todas as sociedades que existiram, até aos nossos dias, é a história da luta de classes», em Manifesto do Partido Comunista (1848), com Friedrich Engels.

Marx deixou claro que a história da humanidade não tem sido outra coisa senão a luta de classes pelo controlo dos meios sociais de produção – como acontece hoje. [e isto não mudou].

2. «A contradição essencial na sociedade capitalista é a contradição entre o capital e o trabalho».

Marx previu que essa contradição apenas podia ser resolvida através de uma revolução social, cuja necessidade se mantém.

3. A alienação no trabalho.

O trabalhador, ao ser despojado da sua força de trabalho e do valor que produz, sente-se alienado. Embora saiba que produz valor e riqueza, o seu trabalho não lhe pertence. Só está consigo quando está fora do trabalho, e quando está no trabalho sente-se fora de si.

4. A ideia de mais-valia.

A mais-valia é o valor que o trabalho não remunerado do trabalhador cria sobre ele e de que o capitalista se apropria gratuitamente. Na sua essência radica a exploração, que não mudou muito.

5. O valor de uso, o valor de troca, o dinheiro e o mundo das mercadorias.

O capitalismo cria um valor para além do valor do uso das coisas. Reduz tudo a uma mercadoria, a um valor de troca que simboliza e resume a expropriação, pelo capital, do trabalho.

A obra de Karl Marx não só permite compreender o sistema capitalista no século XXI como, para aqueles que estão interessados na sua eliminação – os trabalhadores e todos os explorados – se tornou uma ferramenta indispensável para a transformação revolucionária da sociedade.


Com Telesur.

Tópico