|cinema

Ciclo de homenagem a Saramago arranca este sábado em Coimbra

São quatro adaptações de textos literários do escritor e um documentário que contribuem para a divulgação e debate em torno da obra do Nobel. Esta tarde será exibido O Homem Duplicado, de Denis Villeneuve.

José Saramago, 1999
CréditosPedro Soares

A Casa do Cinema de Coimbra e o PCP, em colaboração com a Fundação José Saramago, apresentam, entre hoje e 15 de Outubro, cinco sessões comentadas com o objectivo de contribuir para a divulgação e o debate em torno da obra de um dos mais destacados intelectuais comprometidos com o Portugal democrático.

A primeira sessão realiza-se esta tarde, pelas 18h, com a exibição de O Homem Duplicado, de Denis Villeneuve, seguindo-se uma conversa de Sérgio Dias Branco com Inês Seabra, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

No dia 1 de Outubro, à mesma hora, será exibido Embargo, de António Ferreira. No final, haverá também um conversa com o realizador dinamizada por Sérgio Dias Branco, que no sábado seguinte (8) comentará A Jangada de Pedra, de George Sluizer, exibida nessa tarde. 

O ciclo termina a 15 de Outubro, dia em que será exibido, às 15h, A Maior Flor do Mundo, de Juan Pablo Etcheverry. O último filme, José e Pilar, de Miguel Gonçalves Mendes, está marcado para as 18h e será seguido de uma conversa entre o director da Fundação José Saramado, Sérgio Machado Letria, e Sérgio Dias Branco. 

«A relação de Saramago com o cinema deu origem a objectos atravessados pelo seu olhar sensível, penetrante, inquieto, crítico, profundamente humano, atento aos explorados e injustiçados da terra, sobre a história e o estado do mundo», salientam os promotores, acrescentando que, da literatura ao cinema, «permanece a ideia da cultura como exercício livre da criatividade, com um assumido valor humanista».

Tópico