|precariedade

Trabalhadores da Santa Casa cumprem 13 dias de greve

Os trabalhadores da logística do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa estão em greve, iniciada este sábado, por melhores condições de trabalho e o fim da precariedade.

CréditosANTONIO COTRIM / LUSA

A greve em curso, iniciada ontem e que se prolongará ao longo de quase duas semanas, foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas (CGTP-IN).

Os trabalhadores da logística do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa reivindicam a integração na carreira técnico profissional, bem como o direito ao suplemento de função e ao subsídio de penosidade.  Além disso, exigem também a integração nos quadros de todos aqueles com vínculos precários e a cumprir funções permanentes

Em comunicado, o sindicato afirma que «pela mão destes trabalhadores passam semanalmente 25 milhões de euros. A SCML insiste em não reconhecer profissionalmente a especificidade e responsabilidade que lhes está atribuída».

Neste sábado, os trabalhadores realizaram uma concentração junto às instalações na Bobadela, no concelho de Lisboa. O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, também esteve presente em solidariedade.

De acordo com o documento, «com a greve podem faltar nos jogos sociais, e por tempo indeterminado, raspadinhas, boletins de euromilhões, totoloto, totobola, rolos para os terminais e impressos para levantamento de prémios, cartazes publicitários, entre outros».

Tópico