|Altice

Sindicatos exigem salário mínimo de 850 euros na Altice

Várias organizações representativas dos trabalhadores da Altice apresentaram um caderno reivindicativo que prevê aumentos salariais e outras medidas que se traduzem na melhoria das condições de trabalho.

CréditosAntónio Pedro Santos / Agência Lusa

Os seis sindicatos que integram a Frente Sindical entregaram ao presidente da Altice Portugal uma proposta de revisão do acordo colectivo de trabalho na qual exigem um salário mínimo de 850 euros na empresa.

A frente é composta pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (Sinttav/CGTP-IN), o STPT (Sindicato dos Trabalhadores do grupo Altice em Portugal), o Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN), o Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações e Comunicação Audiovisual (STT/CGTP-IN), o Sindicato de Quadros das Comunicações (SINQUADROS) e a Federação dos Engenheiros (FE).

No comunicado, a Frente Sindical apela, assim, à extensão «do âmbito [do acordo de trabalho] a todas as empresas da Altice Portugal, nomeadamente à INTELCIA, à MCALL, à PT Sales, à SUDTEL, à TNORD e à MEO Blueticket».

Quanto aos aumentos salariais, com efeitos em 1 de Janeiro deste ano, os sindicatos propõem 60 euros de aumentos no salário base até mil euros, 55 euros de aumentos nos salários entre mil e 1500 euros, 50 euros de aumento nos salários entre 1500 e dois mil euros e 40 euros para salários acima dos dois mil euros.

Paralelamente, a proposta pretende a «actualização de todas as cláusulas de expressão pecuniária, incluindo o prémio de reforma/aposentação», a valorização das carreiras/categorias com a criação do sexto nível de proficiência e um aumento significativo na tabela salarial a implementar faseadamente entre 2022 e 2025.

As estruturas defendem ainda que deve ser garantida a «progressão para o nível seguinte aos trabalhadores que tenham cinco avaliações positivas», e, caso o trabalhador tenha atingido o último nível de desenvolvimento da sua categoria profissional e no período de cinco anos não tenha sido promovido, «terá direito a uma diuturnidade de função com o acréscimo de 7% no salário base, após cinco avaliações positivas», podendo ter «no máximo três diuturnidades de função».

Por fim, a Frente Sindical propõe que seja considerado trabalho nocturno o período entre as 21h e as 7h do dia seguinte.

No mesmo comunicado, os sindicatos deram ainda conta de um pedido de reunião urgente ao presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, sobre possíveis medidas unilaterais e notícias que têm dado conta da venda da empresa. De acordo com as estruturas, a Altice remeteu a resposta para um comunicado, afirmando que «não se justifica a realização da reunião solicitada».


Com agência Lusa

Tópico