|banco de horas

Fnac: banco de horas aumenta horário pelo mesmo salário

O CESP sublinha as «consequências perniciosas» para os trabalhadores da introdução do banco de horas advertindo que pode afastar os trabalhadores da família mais de 12 horas diárias.

Loja Fnac em Alfragide. Foto de arquivo
Créditos

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (CESP/CGTP-IN) realça também, num documento dirigido aos trabalhadores, que a Fnac paga o salário mínimo nacional aos que estão até há oito anos na empresa e apenas 650 euros a quem está há mais tempo.

O sindicato lembra ainda que todas as lojas estão a funcionar com menos trabalhadores do que em 2019, enquanto os salários não são aumentados há vários anos.

«Com a introdução do banco de horas, o patrão pode obrigar-te a trabalhar mais duas horas por dia», denuncia o CESP, acrescentando que o trabalhador pode ficar até 12 horas por dia afastado da família pelo mesmo salário.

Tópico