|Impostos

EDP pagou imposto de 0,7% sobre os 1113 milhões de euros de lucros, em 2017

Imposto que ficou por pagar dava para construir hospitais de Évora, Seixal e Sintra

A EDP conseguiu pagar menos 438 milhões de euros em impostos sobre os lucros em 2017 do que a taxa de IRC em vigor. O valor permitia construir os hospitais de Évora, do Seixal e de Sintra, e ainda sobravam 180 milhões.

António Mexia lidera a empresa mais lucrativa, a EDP, com um salário de 2,5 milhões de euros anuais
António Mexia lidera a empresa mais lucrativa, a EDP, com um salário de 2,5 milhões de euros anuaisCréditosTiago Petinga / Agência LUSA

A EDP pagou pouco mais de 10 milhões de euros em impostos sobre os seus lucros, que ultrapassaram os 1100 milhões, um dos melhores resultados de sempre da eléctrica, no ano passado. Ou seja, a taxa efectiva de imposto foi de 0,7%, enquanto a taxa de IRC a que as empresas da dimensão da EDP estavam sujeitas em 2017 era de 29,5% (incluindo derrama estadual e municipal).

O valor, apurado pelo Expresso, corresponde à taxa de imposto efectivo mais baixa das empresas cotadas que já anunciaram os resultados do ano passado. A EDP terá aproveitado vários benefícios fiscais com a sua actividade em Espanha, a «reforma fiscal» nos Estados Unidos da América e outros benefícios em Portugal.

O valor que a EDP deixou de pagar em impostos, quando comparado com o que aconteceria com a aplicação da taxa normal de IRC, foi de mais de 438 milhões de euros. Em comparação, a construção dos hospitais de Évora, do Seixal e de Sintra têm um custo estimado de 257 milhões de euros. Com o que sobrava, ainda era possível cobrir o custo estimado da renovação de 300 escolas de pré-escolar e primeiro ciclo, previsto para o ano passado.

Tópico