|Saúde

Utentes lutam contra a degradação do SNS

Em Albergaria-a-Velha, no distrito de Aveiro, exige-se a reabertura de centros de saúde. Na extensão de São Bartolomeu de Messines, em Silves, existe apenas um médico para 9000 utentes.

A Comissão de Utentes da Saúde do Concelho de Albergaria e o Movimento de Utentes de Serviços Públicos (MUSP) de Aveiro concentraram-se ontem à tarde em frente ao Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Vouga pelo reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) no distrito. 

No decorrer da concentração, uma delegação da comissão de utentes reuniu-se com a direcção do ACES e entregou um abaixo-assinado, que recolheu cerca de 1300 assinaturas no último mês, onde se coloca a exigência do reforço do SNS.

Os utentes reclamam melhores condições de funcionamento do Centro de Saúde de Albergaria-a-Velha, ao mesmo tempo que denunciam a falta de médicos, enfermeiros e de pessoal administrativo. Mas não apenas. 

Numa altura em que se perspectiva a manutenção de unidades de saúde familiar em apenas três freguesias (Angeja, Albergaria-a-Velha e Branca), o documento reclama a reabertura das extensões de saúde por todo o concelho, «com pessoal administrativo e um corpo clínico capaz de garantir médicos e enfermeiros de família para todos». 

Um médico para 9000 utentes

A Sul, mais propriamente em São Bartolomeu de Messines, no concelho de Silves, há muito que a população luta por melhores condições no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Esta terça-feira, várias dezenas de utentes e autarcas do concelho e da freguesia concentraram-se junto à extensão de saúde onde, denunciam, existe apenas um médico para responder a uma população de 9000 habitantes.

Além da necessidade de mais clínicos, os utentes alertam para a falta de assistentes operacionais, com consequências como a redução do horário de atendimento. 

Tópico