|portagens

Plataforma contra as portagens na A23 e A25 agenda protesto para 15 de Maio

A Plataforma Pela Reposição das Scut na A23 e A25 vai realizar uma acção de protesto na fronteira de Vilar Formoso, no dia 15 de Maio, com o objectivo de introduzir o tema na campanha eleitoral.

Os utentes exigem a abolição das portagens esclarecendo que faltam vias alternativas e seguras
Os utentes exigem a abolição das portagens esclarecendo que faltam vias alternativas e seguras Créditos / Razão Automóvel

Em conferência de imprensa realizada hoje, na Guarda, os representantes da Plataforma referiram que a tribuna pública transfronteiriça será organizada pelas 11h e visa colocar a abolição das portagens nas auto-estradas A23 e A25 no centro do debate político para as eleições ao Parlamento Europeu. 

Segundo Luís Garra, da União de Sindicatos de Castelo Branco (CGTP-IN), a acção, sendo uma tribuna pública, «é uma tribuna onde as várias organizações que a ela venham a aderir poderão usar da palavra».

«Neste momento temos garantida a adesão das várias organizações sindicais que integram o Comité Sindical Inter-regional de Castilha e Leão, Beiras e Nordeste de Portugal, que é composto pela CGTP-IN e UGT de Portugal e pelas Comissiones Obreras e UGT espanhola», acrescentou.

O responsável garante que «estas quatro organizações reuniram e estão em consonância com os objectivos da acção».

«Nós estamos plenamente conscientes de que o problema das portagens é um problema económico, é um problema social, e é nesse sentido que insistimos na necessidade da abolição das portagens mesmo que através de reduções progressivas», defendeu.

No encontro com os jornalistas, foi também feito o ponto de situação dos resultados obtidos até ao momento, tendo a Plataforma concluído que as reduções nas portagens aplicadas pelo Governo são insuficientes. 

A Plataforma Pela Reposição das Scut na A23 e A25 integra associações empresariais, sindicais e de utentes, dos distritos da Guarda e de Castelo Branco.

Com agência Lusa

Tópico