|Serpa

Município de Serpa exige conclusão do IP8

A Assembleia Municipal de Serpa exige que o Governo calendarize e assegure a conclusão do IP8, até à fronteira de Vila Verde de Ficalho, conforme definido no Plano Rodoviário Nacional. 

Créditos / Rádio Pax

A moção aprovada por unanimidade na última sessão da Assembleia Municipal de Serpa, no distrito de Beja, reivindica uma «solução imediata» para o Itinerário Principal (IP) 8, entre o nó da auto-estrada do Baixo Alentejo (A26) e Vila Verde de Ficalho, «garantindo a segurança na circulação e o arranque imediato das obras de construção». 

A autarquia exige que o Executivo de António Costa calendarize e assegure a conclusão do IP8 na sua totalidade, «conforme definido no Plano Rodoviário Nacional, em perfil de auto-estrada e sem portagens», por se tratar de um «investimento estruturante» e «essencial para o desenvolvimento da região». 

Na moção apresentada pela CDU, os eleitos recordam que a construção do IP8/reabilitação da EN260 consta do Plano Nacional Rodoviário, aprovado pelo Decreto-Lei 380/85, e que, passados 35 anos, grande parte dessa infra-estrutura continua a aguardar por «melhores dias».

Não bastasse, também o Plano de Recuperação e Resiliência deixa de fora a previsão do IP8 até à fronteira de Vila Verde de Ficalho, «limitando os investimentos até Beja», ignorando, «mais uma vez», o concelho de Serpa e a margem esquerda do Guadiana.

No documento remetido ao Governo e aos grupos parlamentares da Assembleia da República, os eleitos realçam que a degradação da EN260, desde o nó da A26 até à fronteira de Vila Verde de Ficalho, atingiu «níveis insuportáveis» e ameaça a circulação de pessoas e mercadorias. Referem, por outro lado, que as «intervenções pontuais» que têm sido efectuadas «em nada contribuem para a resolução do problema de fundo, que consiste na impossibilidade de resposta, do actual traçado da via, ao volume de trânsito existente». 

Tópico