|CTT

Luta da população e da autarquia reabre CTT em Alpiarça

Movimento de utentes saúda reabertura próxima da loja dos CTT em Alpiarça, após dois anos de encerramento pela administração daquela empresa.

Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PP.
Os CTT, uma empresa pública rentável para as contas do Estado, foram privatizados em 2013 e 2014 pelo governo do PSD e CDS-PP.Créditos

O Movimento dos Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) do Distrito de Santarém saudou em comunicado a reabertura da loja dos CTT em Alpiarça, prevista para a próxima segunda-feira, dia 30 de Dezembro de 2019, como uma vitória da «luta das populações e da autarquia».

Em Alpiarça decorreram vários protestos dos utentes contra o encerramento do posto de correios e a autarquia procedeu a diversas diligências institucionais para a reabertura do mesmo, depois de uma moção aprovada por unanimidade pelo executivo municipal, em 12 de Janeiro de 2018, ter deliberado exigir aos CTT a reversão da situação e ao Governo a intervenção deste no processo, «impondo o cumprimento dos princípios de universalidade e de proximidade que estão na base do contrato de concessão do serviço público».

O anúncio da reabertura foi feito pela administração da empresa, que anunciou ir a loja funcionar em novas instalações, «após obras de requalificação do espaço».

A reabertura das 33 lojas dos CTT que haviam sido encerradas em sedes de concelhos, decorre do compromisso assumido nesse sentido em Junho passado, na Assembleia da República, pelo novo presidente executivo da empresa, João Bento. No mesmo comunicado, a administração da empresa refere que o posto de correios «aberto em substituição da loja, a cerca de 150 metros», irá manter-se em actividade, «devido à sua excelente localização e facilidade de acesso».

A Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) exigiu aos CTT, em Janeiro passado, a apresentação de «uma proposta» para que todos os concelhos do país tenham, «pelo menos, uma estação de correios ou um posto de correios com características equivalentes às da estação», refere o Dinheiro Vivo desta sexta-feira.

Também a Câmara Municipal de Alpiarça, que reclamara junto da ANACOM que o contrato de concessão do Serviço Postal Universal consagrasse, «de forma clara e iniludível», a obrigatoriedade de existência, em cada concelho, de pelo menos uma estação de correios gerida diretamente pelos CTT, aplaudiu a reabertura.

O presidente da autarquia, Mário Pereira (CDU), considerara, em comunicado de Fevereiro deste ano referido pelo Dinheiro Vivo, ser «justa e imprescindível» a reabertura da estação de correios que existia na vila, «nas condições impostas pela decisão da ANACOM de 10 de janeiro, com a maior brevidade possível».

Em Junho passado, depois da nomeação de João Bento, o autarca da CDU anunciou ao Mais Ribatejo a intenção do município de solicitar uma reunião com carácter de urgência ao novo presidente do conselho de administração dos CTT, no sentido de «tratar da reabertura da Estação dos CTT em Alpiarça o mais rapidamente possível».

Tópico