|Câmara Municipal de Lisboa

Faz falta a Lisboa o Conselho Municipal do Ambiente

Depois de, em Fevereiro, ter sido aprovada, por unanimidade, a reactivação deste conselho, «Os Verdes» pediram explicações à autarquia lisboeta pelo atraso na sua concretização.

CréditosRosa Pinto / tveuropa.pt

Os ecologistas exigiram, esta segunda-feira, esclarecimentos à Câmara Municipal de Lisboa pela demora na reconstituição do Conselho Municipal do Ambiente.

Em nota enviada a imprensa, «Os Verdes» lembram que, em «18 de Fevereiro de 2020, a Assembleia Municipal de Lisboa aprovou, por unanimidade, uma recomendação apresentada pelo Partido Ecologista Os Verdes» com o objectivo de rever e actualizar o regulamento para o seu funcionamento.

O organismo, criado em Julho de 2008, nunca chegou a funcionar. Para os ecologistas, este conselho é da maior importância por se tratar de «uma estrutura de participação e de debate, representativo das várias entidades do concelho de Lisboa, sobre matérias relacionadas com o desenvolvimento sustentável municipal», sobretudo porque, no ano de 2020, Lisboa foi a Capital Verde Europeia.

Trata-se de uma oportunidade, segundo «Os Verdes», para «promover o debate e a participação» sobre a definição de políticas concretas para a resolução de problemas como sejam a mobilidade urbana, o tratamento de resíduos, a qualidade do ar, a plantação e classificação de árvores, a mitigação e adaptação às alterações climáticas, o amianto ou a poluição do ar e sonora, entre outros.

Tópico