|Saúde

Falta de administrativos encerrou unidade de saúde de Miranda do Corvo

A Unidade de Saúde Familiar de Miranda do Corvo, no distrito de Coimbra, esteve encerrada na manhã desta quarta-feira devido à falta de assistentes administrativos. Reabriu ao meio-dia. 

CréditosPaulo Novais / Agência Lusa

A Unidade de Saúde Familiar de Miranda do Corvo esteve fechada entre as 8h e as 12h, com uma informação afixada na porta a indicar que as consultas de enfermagem e médicas não podiam ser realizadas por faltas de assistentes técnicos. 

O Movimento de Utentes do Centro de Saúde de Miranda do Corvo, que esta segunda-feira alertou para a redução do horário de atendimento, informa que o serviço foi reaberto graças à deslocalização de dois assistentes administrativos do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte e apela à participação na concentração de protesto agendada para amanhã, às 18h, na reunião da Assembleia Municipal. 

José Taborda, representante do município no Conselho da Comunidade do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte, afirmou à Lusa que a acessibilidade aos cuidados de saúde «tem vindo a degradar-se». 

«A falta de recursos humanos já conduziu a diversas manifestações, uma vez por falta de médicos, enfermeiros e assistentes operacionais, e hoje devido à falta de assistentes administrativos, o que levou ao encerramento total do centro de saúde», disse.

De acordo com o profissional de enfermagem, os utentes estão «perante uma instabilidade permanente na unidade de saúde», que afecta também os profissionais, lamentando que esta situação conduza ao «aumento do tempo de espera para uma consulta médica e de enfermagem», e simultaneamente obrigue os doentes a recorrer ao Serviço de Urgência do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) ou a entidades privadas, «isto se [...] tiverem capacidade económica».


Com agência Lusa

Tópico