|Évora

Concurso para novo Hospital Central do Alentejo volta a derrapar

Quando faltam menos de cinco meses para o final da legislatura, é conhecido novo revés no lançamento do concurso para a construção do novo Hospital Central público do Alentejo, em Évora. 

Maqueta do novo Hospital Central do Alentejo, que será construído na periferia de Évora
Maqueta do novo Hospital Central do Alentejo, que será construído na periferia de ÉvoraCréditos / RTP

A denúncia foi tornada pública esta quinta-feira pelo PCP, que já enviou uma pergunta ao Ministério da Saúde. A entrega da documentação necessária ao lançamento do concurso por parte do grupo de trabalho constituído pelo Governo para este efeito ocorreu apenas no passado dia 15 de Maio, quando o prazo definido era o início do mês.

Na questão endereçada ao Governo, os comunistas lembram que «esse compromisso foi, de resto, assumido na audição realizada na Comissão de Saúde da Assembleia da República a requerimento do PCP», na qual o presidente do grupo de trabalho afirmou que «até ao início do mês de Maio poderemos ter todo o processo concluído, quer em termos de projecto quer em termos de preparação de toda a documentação necessária para o lançamento do concurso».

O atraso relativamente à calendarização definida vem acentuar preocupações quanto à possibilidade de a adjudicação da obra vir a ser adiada para a próxima legislatura, ficando assim «sujeita a novas incertezas quanto à vontade política de avançar com esse investimento». Tal como reconheceu ontem o líder da bancada parlamentar comunista, João Oliveira, «se a adjudicação da obra for feita ainda durante esta legislatura, a construção do novo hospital torna-se irreversível».

O plano de financiamento para a construção do novo Hospital Central do Alentejo foi apresentado pelo Governo do PS em Évora, no passado mês de Janeiro. Em termos de datas, o compromisso era lançar o concurso para a empreitada até Maio deste ano, destacando-se Dezembro de 2023 como prazo limite para a nova unidade hospitalar começar a funcionar. 

Prevê-se que o novo Hospital Central do Alentejo venha a abranger mais de 500 mil pessoas.

Tópico