|Serpa

CM de Serpa volta a exigir obras na escola secundária

A Câmara Municipal de Serpa exige garantias do Governo sobre as obras na Escola Secundária de Serpa, que se encontra num estado degradado, manifestando preocupação por o estabelecimento não constar na última lista de escolas a reabilitar aprovada pelo Executivo.

A Escola Secundária de Serpa encontra-se com vários problemas nas suas infra-estruturas
A Escola Secundária de Serpa encontra-se com vários problemas nas suas infra-estruturasCréditos / Rádio Voz da Planície

Num comunicado enviado à imprensa, o município «reitera a premência da requalificação» da escola, de forma a dar «resposta às exigências e posições tomadas nos últimos anos e, sobretudo, no decorrer do último ano lectivo».

Não constando esta escola na recente lista aprovada pelo Governo para o objectivo de requalificação, a Câmara Municipal de Serpa exige que o Executivo «esclareça quais os critérios seguidos para exclusão» e que a escola seja integrada no programa de requalificação, demonstrando «total disponibilidade para analisar a situação» em conjunto com a tutela.

A autarquia lembra que a escola foi sinalizada para ser requalificada em 2008 e 2013, através da empresa Parque Escolar, mas as obras foram «ficando sempre por fazer».

A nota informa ainda que, depois de vários contactos com a Direcção de Serviços da Região Alentejo da Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, a 26 de Outubro do ano passado a autarquia solicitou uma reunião ao ministro da Educação para obter esclarecimentos sobre o processo de reabilitação da escola, não obtendo resposta.

A autarquia repetiu o pedido de reunião a 17 de Novembro de 2016 e a 3 de Janeiro deste ano, tendo esta sido concretizada no passado dia 7 de Fevereiro. Então, o presidente do município, Tomé Pires, entregou à secretária de Estado da Educação, Alexandra Leitão, um relatório que apontava para uma intervenção com um orçamento de 3,5 milhões de euros, tendo em conta «o avançado estado de degradação e os vários problemas» da escola.

Tomé Pires recebeu de Alexandra Leitão a informação de que estava prevista uma verba de cerca de um milhão de euros para a Escola Secundária de Serpa, no âmbito do Portugal 2020, mas sem haver definição de como vai ser utilizada ou qualquer outro esclarecimento sobre a resolução de todos os problemas que afectam o estabelecimento de ensino.

Tendo em conta que não houve «mais nenhuma elucidação por parte do Ministério da Educação», a Câmara Municipal já fez novos pedidos de reunião, nos passados dias 9 de Maio e 12 de Julho, não obtendo até hoje resposta.

Tópico