|Síria

Washington leva toneladas de ouro da Síria, em acordo com o Daesh

Helicópteros dos EUA levaram cerca de 40 toneladas de ouro da província síria de Hasaka, no âmbito de um acordo com o grupo terrorista que envolveu a evacuação dos seus militantes, refere a agência SANA.

A Síria acusa as tropas norte-americanas de mais uma «cooperação» com os terroristas do Daesh, desta vez envolvendo «ouro roubado»
A Síria acusa as tropas norte-americanas de mais uma «cooperação» com os terroristas do Daesh, desta vez envolvendo «ouro roubado» Créditos / Sputnik News

«Quando tenta convencer o mundo da sua vitória imaginária sobre o Daesh [também conhecido como Estado Islâmico], Washington está ainda a cooperar com a organização terrorista», afirma a agência SANA numa peça publicada este sábado, acrescentando que esta parte da cooperação envolve «ouro roubado».

Tendo por base fontes locais, a agência estatal síria refere que as «forças norte-americanas, presentes na Síria de forma ilegal, usaram helicópteros para transportar grandes caixas cheias de "despojos" dos terroristas do Daesh da região de al-Dashisha, no Sul da província de Hasaka».

As mesmas fontes referem que as caixas continham grandes quantidades de ouro que o grupo terrorista tinha armazenado a leste da cidade de al-Shadadi – uma informação que, sublinha a SANA, vem confirmar informações prévias que davam conta de que o Daesh tinha transportado para al-Dashisha cerca de 40 toneladas em barras de ouro roubadas na cidade iraquina de Mossul e em várias partes da Síria.

Ainda de acordo com as fontes locais, helicópteros dos EUA aterraram anteriormente em Hajjin, na província de Deir ez-Zor, e al-Dashisha, na de Hasaka, de onde levaram terroristas do Daesh que se tinham entregado às tropas norte-americanas, voando depois em direcção ao local onde se encontrava o ouro e fechando assim um «negócio» que, alegadamente, terá envolvido a evacuação de centenas de militantes do Daesh – a Prensa Latina refere-se a 440.

Colaborações frequentes

Washington ainda não comentou estas informações. Recorde-se que as tropas norte-americanas e a chamada «coligação internacional» liderada pelos EUA têm sido reiteramente acusadas de transportar militantes do Daesh, «salvado-lhes a pele» em situações de aperto e dando-lhes, inclusive «novo uso».

O Irão acusou os EUA de transportar «um grande número de terroristas do Daesh» para o Afeganistão a partir da Síria, sublinhando a desestabilização que tal poderá provocar na região da Ásia Central, lembra a Al-Masdar News.

Por seu lado, em 22 de Setembro de 2018, a agência SANA reportou a existência de uma operação, por parte da «coligação internacional», de transporte aéreo de terroristas do Daesh, que foram levados dos arredores de al-Marashida, na província de Deir ez-Zor, para parte incerta.

Um ano antes, em Setembro de 2017, diversas fontes disseram à RIA Novosti que os militares norte-americanos tinham transportado membros do Daesh da região de al-Mayadin, em Deir ez-Zor, para parte incerta, quando o cerco do Exército Árabe Sírio apertava.

Numa reportagem publicada em Novembro de 2017, a BBC revelou vários detalhes de um acordo secreto que permitiu que centenas de combatentes do Daesh e as suas famílias saíssem da cidade Raqqa, em meados de Outubro desse ano, acompanhados e protegidos pela coligação liderada pelos EUA, pouco antes de as chamadas Forças Democráticas Sírias (FDS) terem decretado a libertação da cidade.

Tópico