|Índia

Destruição e violência contra comunistas no estado indiano de Tripura

Várias instalações foram saqueadas ou arrasadas. A onda de violência contra sindicalistas, militantes e funcionários do PCI(M), em Tripura, seguiu-se à vitória do partido de Modi nas eleições em 4 estados.

Créditos / Newsclick

As agressões a militantes e os ataques a sedes e centros de trabalho do Partido Comunista da Índia (Marxista) – PCI(M) – têm-se repetido nos últimos anos neste estado do Nordeste da Índia, como lembrou a organização estadual do partido no Twitter.

O PCI(M) acusou o BJP (Partido Barathyia Janata, que governa neste estado e na Índia) de ter «acrescentado uma nova dimensão de terror». «Pouco depois de receber a notícia da vitória nas eleições em quatro estados, o BJP fez abater sobre Tripura um terrorismo horrível», escreveu no Twitter a organização do PCI(M) de Tripura Ocidental.

Os comunistas acusaram ainda os dirigentes do BJP de instigarem a violência nas celebrações dos apoiantes do partido de Narendra Modi, vencedor nas eleições para as Assembleias Legislativas nos estados de Goa, Manipur, Uttarakhand e Uttar Pradesh.

Na quinta-feira à noite e na sexta-feira, sensivelmente no espaço de 24 horas, houve registo de ataques um pouco por todo o estado e, de acordo com uma primeira estimativa, pelo menos cem funcionários do PCI(M) foram agredidos e as suas propriedades destruídas, refere o Newsclick.

Em Ranjitnagar, a mercearia de Bijoy Biswas, conhecido por apoiar o PCI(M), foi arrasada. O escritório do advogado Minhaj Ahmad, ligado ao partido, foi atacado. Em Durga Chowmuhani, a loja de Apu Pal, funcionário do partido, foi destruída. Em Krishnagar, a casa de Gopal Malakar, membro do comité local do PCI(M), foi atacada à bomba.

Em Bishalgarh, a sede do comité local do partido foi demolida com um bulldozer e três funcionários – todos muçulmanos – foram espancados e feridos. Na região de Kumarghat, o centro de trabalho foi saqueado e o mobiliário destruído. De acordo com a fonte, houve ainda registo de incêndios e violência nas regiões de Jamalpur, Sonamura e Sadar.

PCI(M) lembra responsabilidades e afirma que as bases não se deixam intimidar

Numa carta aberta ao ministro-chefe de Tripura, o secretário do PCI(M) no estado de Tripura, Jitendra Choudhury, lembrou-lhe que, de acordo com o seu juramento constitucional, é responsável por proteger os direitos civis, a vida e a propriedade das pessoas.

«No entanto, é profundamente lamentável que, durante o seu mandato como ministro-chefe nos últimos 47 meses, um partido político (partido no poder) se entregue continuamente a este tipo de ataque», escreveu Choudhury, citado pelo Newsclick.

Também o Comité Central do PCI(M), em comunicado emitido este domingo, condenou «os ataques fascistas cruéis contra os quadros» do partido e os seus centros de trabalho em todo o estado.

Lembrando que o BJP já levou a cabo estas acções de «terror contra o PCI(M)», o documento sublinha que «falhará, mais uma vez, em intimidar o partido e suas bases».

Tópico